PousoAlegrenet

Menu

O criatório artístico de Luciano

Luciano e sua criação (Foto: Ana Beraldo)

Ele planta árvores e cria pássaros e aves multicoloridos para habitá-las. São araras, flamingos, beija-flores, garças, tucanos, angolinhas. Tem até o galo da serra andino, que é considerado o pássaro mais bonito da terra. E mais recentemente chegaram as borboletas que passeiam entre os antigos moradores dando mais vida e cor à sua inventividade. Seu horizonte extrapola o espaço de seu pequeno ateliê instalado no fundo de sua casa em Careaçu, onde passa cerca de dez horas por dia, na sua lida artística, ouvindo noticiário de rádio, ouvindo música, com ênfase para as da Jovem Guarda, que cantarola, enquanto trabalha.

Árvore com pássaros, criação de Luciano (Foto: Ana Beraldo)

A vida do artesão Luciano Paulo Ferreira é assim: leve, alegre, com pitadas de espiritualidade.  Estar com ele é a certeza de boas risadas, de aprendizado, de ter fé na vida. Motivos para pintar sua existência de negro bem que ele teve, mas optou pelo lado claro da vida.

Luciano e sua esposa, Iná Ferreira

Luciano, Iná e o casal de amigos Sônia Belardi (divulgadora de seu trabalho e que me apresentou ao Luciano) e Arthur

Luciano, eu e sua esposa, Iná Ferreira

Há 36 anos sofreu um acidente na empresa onde trabalhava em Campo Grande, MS, e perdeu uma perna. Nesta época, era noivo de sua conterrânea Iná Ferreira. Casaram assim que ele recuperou-se, e, enquanto Iná lecionava, ele cuidava dos filhos e da casa. Foi aí que teve um grande insight que mudou sua vida. Estava assistindo à novela Pantanal (TV Manchete, 1990) e se encantou com as árvores povoadas de garças que compunham o cenário. Começou assim: árvores com garças, depois foi achando sem graça e começou sua criação diversificada e colorida. São cerca de setenta espécies que habitam as árvores feitas de arame e durepox. Os pássaros são feitos de latas de alumínio descartáveis. Inicialmente, de litros de óleo, hoje de latas de tiner. Minuciosamente, ele vai desenhando as peças e recortando-as. Prefere trabalhar em lotes de cinco árvores e leva duas semanas para finalizá-las.

Nunca saiu de casa para comercializar seus produtos. Foi descoberto, e agora, as encomendas chegam de todos os lados. Tem fila de espera. Eu estou na fila há algum tempo.

Contato: 9 88290238

Ana Maria Beraldo

Ana Beraldo, jornalista, escritora, produtora cultural, assessora de imprensa da FAI/Santa Rita do Sapucaí, desenvolve projetos editorias e culturais no sul de Minas e em São Paulo, diretora/proprietária da Anauá – Comunicação e Cultura, membro da Academia Pouso-Alegrense de Letras

Contato: [email protected]

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.