PousoAlegrenet

Menu

Pouso Alegre é a cidade brasileira em que os jovens são menos expostos à violência

Um estudo divulgado nesta terça-feira (19) pelo Ministério da Justiça e Fórum Brasileiro de Segurança Pública apontou que Pouso Alegre, no Sul de Minas, é a cidade brasileira onde os jovens estão menos expostos à violência. A pesquisa fez um mapeamento dos riscos para a juventude em todas as 283 cidades brasileiras que possuem mais de 100 mil habitantes.

De acordo com o estudo, Pouso Alegre está em último lugar – 283ª posição – no Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência (IVJ-Violência), ou seja, é a cidade brasileira onde os jovens estão menos expostos a crimes, mortalidade no trânsito e pobreza. O município é seguido por outras cidades mineiras, também em condição de baixa vulnerabilidade, como Poços de Caldas (274º lugar), Passos (268º), Divinópolis (266º) e Juiz de Fora (256º).

O Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência mede a exposição de jovens brasileiros a crimes, homicídios e mortalidade no trânsito, pobreza e desigualdade socioeconômica, frequência escolar e acesso ao mercado de trabalho. A mensuração é feita entre jovens brasileiros que têm de 12 a 29 anos e é feita em uma escala de 0 a 1, onde 0 é o melhor resultado possível e 1 o pior resultado.

Entre 2003 e 2012, o Governo do Estado investiu aproximadamente R$ 10 milhões em segurança pública na cidade de Pouso Alegre. Somente em 2010, ano de realização da pesquisa do Ministério da Justiça, o investimento foi de R$ 340.854,00.

Segundo o coronel Wagner Mutti Tavares, comandante da 17ª Região Integrada de Segurança Pública, as políciasMilitar e Civil têm uma preocupação grande com a criminalidade violenta em Pouso Alegre e, por isso, diversas ações integradas vêm sendo desenvolvidas na cidade.

“Estamos investindo bastante em projetos de prevenção à violência, como o Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas), que tem a intenção de tirar a situação de vulnerabilidade das crianças e adolescentes, para que tenham capacidade de resistir ao assédio da droga. Trabalhamos também com o projeto Jovens Construindo a Cidadania, que é voltado a adolescentes, com capacitação e educação da tropa e com outras ações pontuais de patrulhamento, principalmente em locais de maior vulnerabilidade”, explicou o comandante.

Segundo o coronel, todos os trabalhos são feitos de modo a impactar e reduzir a criminalidade violenta na região. “As ações são integradas e estão sendo desenvolvidas com sucesso. O resultado é a redução dos indicadores”, completou.

Deixe um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.