PousoAlegrenet

Menu

Centro de Pouso Alegre vai ganhar cara nova em 2014

As obras começam entre setembro e outubro e têm prazo de conclusão para o final do primeiro semestre de 2014

O trabalho conjunto da Prefeitura com o Sebrae, o Sindvale e a Associação do Comércio e da Indústria (Acipa) rendeu um projeto surpreendente para o hipercentro de Pouso Alegre. Acostumados às vias estreitas e vendo a massa cinzenta de concreto deixar cada vez menos espaços para as pessoas, os pouso-alegrenses se perguntam se o crescimento da cidade pode trazer mais qualidade de vida para a população. A resposta foi dada na última na última semana pelas instituições. No Teatro Municipal, o grupo apresentou o projeto de revitalização das principais vias do Centro.

Ousado, o projeto propõe mais que o simples embelezamento da região. O objetivo é transformar ruas como a Avenida Doutor Lisboa, a Praça Senador José Bento, a Duque de Caxias e a Getúlio Vargas em um grande centro de convivência. “Queremos uma cidade que acolha as pessoas. Onde os moradores se sintam bem, tenham prazer em andar pelas calçadas. O espaço público tem que ser um espaço de confraternização e encontro”, avalia o prefeito .

Proposta (4)

No espaço equivalente à vaga ocupada por um carro estacionado, entre a via e a calçada, um banco de madeira, telefone público, iluminação própria, um tanto lúgubre, um jardim suspenso e algumas árvores. As Ilhas de Conforto podem ser tomadas como a proposta símbolo do projeto. Ao longo da Avenida Doutor Lisboa, a serão construídos uma estrutura a cada quadra. “Pensamos neste espaço como forma de as pessoas parar, se acomodar. Deixar de lado o corre-corre e poder lançar um olhar mais contemplativo sobre a cidade. Ou simplesmente parar para descansar”, explica a secretária de Planejamento Sandra Matos.

Calçadas

Segundo a proposta elaborada pelo Sebrae, Acipa, Sidvale e Prefeitura, as calçadas destas vias serão padronizadas. O piso sugerido, um ladrilho hidráulico, traz uma série de vantagens. É mais resistente, suporta maior pressão, variações de temperatura e umidade. A padronização ainda deve favorecer a manutenção, hoje dificultada pela variedade, fragilidade e, por vezes, assimetria do material utilizado.

A funcionalidade das calçadas alcança inclusive os deficientes visuais. Sobre sua superfície, um piso tátil direcional servirá de guia para os deficientes. Eles serão de dois tipos. Um amarelo, longitudinal, indica para ir em frente. Enquanto um avermelhado, convergente, indica pontos de rotação ou a presença de obstáculos.

Canteiros Centrais (3)

Segurança

Uma medida simples prevista no projeto tornará a via mais segura. Vai ajudar a organizar o fluxo de veículos e a travessia de pedestres. Trata-se de um prolongamento das calçadas em cada uma das esquinas. Essa extensão ainda será fechada por um gradil. O prolongamento da calçada no cruzamento afunila a via e evita que um condutor faça manobras impróprias, fechando o fluxo num local sensível para o tráfego. Já o gradil impede que o pedestre atravesse a via fora da faixa. Funciona como uma barreira condutora.

Limpeza e arborismo

A limpeza e o arborismo são complementares no projeto. Ao lado de cada um dos contêineres de lixo que serão dispostos ao longo da via, um arbusto. Do diálogo entre antagônicos, a Prefeitura espera incentivar práticas sustentáveis, além de manter belo, mesmo o espaço destinado ao lixo.

Canteiro móvel

Um canteiro central com árvores e grama, um jardim completo, sobre rodas. A inovação que mais chama atenção no projeto pretende tornar possível a existência de uma via com um canteiro central arborizado, mas que possa dar lugar a grandes eventos, como o Carnaval e o Sete de Setembro, quando necessário.

Ilhas de Conforto (2)

Propostas para os bairros

Tidos como pilotos, os projetos de calçadas padronizadas e outras mudanças que começam a ser implantadas na região central serão estendidas, com adaptações, para os bairros. É o caso dos gramados sobre as calçadas. A proposta chega para amenizar a impermeabilização do solo, fonte de alagamentos nos bairros.

Outras intervenções

Outras intervenções complementares devem ser feitas na região central da cidade. As obras incluem drenagem pluvial, recuperação da pavimentação, pintura de sinalização horizontal e, por último, a conversão da fiação elétrica para um sistema subterrâneo. “Esta é uma das muitas intervenções que vamos fazer na cidade nos próximos anos para tornar Pouso Alegre modelo em urbanismo”, encerra o prefeito . As obras começam entre setembro e outubro e têm prazo de conclusão para o final do primeiro semestre de 2014.

Plano de Urbanismo

O projeto de revitalização do Centro integra o Plano de Urbanismo da Prefeitura de Pouso Alegre. Com obras já em andamento, as ações já contam com recursos de cerca de cerca de R$ 19 milhões para obras de drenagem urbana, pavimentação, planejamento arquitetônico e paisagístico. Considerado um dos grandes projetos estruturantes do município, o plano tem dois focos principais. Através dele, a Prefeitura pretende reforçar a infraestrutura da região central, estrangulada pelo crescimento vertiginoso do município nos últimos anos, e embelezar os trechos com potencial turístico, notadamente o de negócios. Além de ampliar e revitalizar a infraestrutura viária de toda a cidade.

Deixe um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.