PousoAlegrenet

Menu

Assassino do vigilante é condenado a 13 anos de cadeia

O crime por motivos fúteis aconteceu no final do show da cantora baiana Ivete Sangalo no Estádio Manduzão em Pouso Alegre, no dia 19 de agosto de 2011.

Todo show musical em Pouso Alegre ou qualquer outra cidade costuma ter uma nota triste! A do Show da cantora Ivete Sangalo foi uma nota hedionda! O vigilante Divanilton Resende de Souza, 29 anos, foi assassinado da forma mais primitiva possível… com um golpe de caco de vidro – segundo o assassino – no pescoço!

Ao tomar satisfação com um cidadão que derramara um copo de cerveja na roupa de sua mulher, teve inicio um entrevero entre ambos. Das vias passaram aos fatos e se engalfinharam no interior do camarote vip improvisado para o show. A briga de poucos segundos terminou quando o sangue quente jorrou do pescoço do vigilante.

Enquanto a esposa Juliana e os parentes tentavam inutilmente socorrer Divanilton com sangramento na jugular, o assassino misturou-se à multidão e dobrou a serra do cajuru. Quando os homens da lei chegaram ao local do sinistro não havia mais ninguém para prender.

Os detetives da Especializada de Crimes Contra a Vida da Delegacia Regional de Pouso Alegre, sob a batuta do delegado Gilson Baldassari, tão logo receberam a incumbência saíram na sombra do assassino. E era sombra mesmo! Poderia ser qualquer um dos 200 milhões de brasileiros. Ou talvez menos, já que o homicida tinha porte físico, fisionomia e sotaque nordestino, o que reduzia o numero de suspeitos para pouco mais de 10%. Mesmo assim foram necessários quatro meses para descobrir o assassino. Antonio Eldo Linhares Rocha, 39 anos, nascido em Granja-CE, recebeu as pulseiras de prata da policia minera no interior de um apartamento na cidade de São Miguel Paulista no dia 17 de janeiro de 2011 e mudou-se preventivamente para o Hotel do Juquinha, em Pouso Alegre.

O homicida sentou-se no banco dos réus nesta sexta, 30, no Fórum Orvietto Butti, no bairro Santa Rita em Pouso Alegre. Presidiu o tribunal o juiz Jose Sergio Palmieri. O acirrado debate em defesa da aplicação da lei ficou por conta do promotor Fabiano Lauritto. O punguista cearense contou com a defesa de dois advogados paulistanos. Um deles, renomado criminalista acostumado a exibir seus conhecimentos jurídicos no programa de variedades do apresentador “Ratinho” do SBT. O teatral causidico bateu em toda as teses admissíveis em leis a começar por legitima defesa, passando pela tentativa de desclassificar o fútil crime para homicídio culposo e acabou apelando para as condições sociais do seu cliente, o qual seria um ‘desfavorecido’ pela sociedade!

Nada disso impressionou os sete jurados. Nem mesmo o olhar frio e impetuoso do trintenário advogado em tribunais de júri que fazia questão de repetir olhando nos olhos dos jurados:

-Eu tenho 35 anos de experiência em júris!!!

Antonio Eldo Linhares Rocha, o assassino do vigilante Divanilton Resende Souza foi condenado a 13 anos de reclusão. Onde estava continuou hospedado… No Hotel do Juquinha!

Airton Chips
Policial civil aposentado, Airton Chips é blogueiro e colunista policial.

Deixe um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.