PousoAlegrenet

Menu

Numero de acidentes diminuem 12% em Pouso Alegre

Redução seria causada pela fiscalização e organização do trânsito, segundo a Secretaria de Transporte e Trânsito de Pouso Alegre

As ações de organização e fiscalização do tráfego em Pouso Alegre atingiram seu objetivo principal. Tornaram o trânsito do município mais seguro. De janeiro a agosto de 2013, os acidentes foram reduzidos em 12,7% na comparação com o mesmo período do ano passado. A estatística positiva alcançada pela Secretaria de Transporte e Trânsito (SMTT) é atribuída à execução do Plano Municipal de Gerenciamento de Tráfego (PMGT) e ao rigor dos agentes de trânsito na fiscalização das infrações cometidas pelos condutores.

Nos oito primeiros meses de 2012, foram registrados 1.894 acidentes no perímetro urbano. No mesmo período deste ano, os registros da Polícia Militar e da SMTT contabilizaram 1.652 acidentes, 242 a menos que no ano anterior. Os dados são preliminares. Integram um estudo em elaboração pelo departamento de estatísticas da SMTT. “A partir da análise estatística, teremos condições de caracterizar com precisão onde, quando e como ocorrem os acidentes no município”, explica o secretário da pasta Marcos Aurélio.

As informações preliminares continuam a reforçar o êxito dos trabalhos voltados para a segurança no trânsito quando o foco do estudo são as vias com maior ocorrência de acidentes. Entre as mais importantes da cidade e, por isso, as mais movimentadas, as avenidas Ayrton Senna (-15%), Prefeito Olavo Gomes de Oliveira (-19,1%), Vereador Antônio da Costa Rios (-18%) e Vicente Simões (-40%) registraram as maiores quedas. “É uma clara demonstração de que as políticas de segurança que estamos adotando estão refletindo nas estatísticas e salvando vidas. Basta lembrarmos que todas as ações adotadas pela SMTT invariavelmente tendem a começar por essas vias por concentrarem maior parte do tráfego”, considera o secretário.

DSC00299

Impaciência traz riscos

Segundo o estudo da SMTT, os horários de tráfego intenso representam maior risco. Um condutor que trafega entre as 16h e 17h tem duas vezes mais chances de ser vítima de um acidente de trânsito que outro que faça o mesmo trajeto entre 8h e 9h. “Poderíamos pensar, por exemplo, que por ser um horário de tráfego mais pesado e, portanto, os veículos estarem mais lentos, o índice de acidentes seria menor. No entanto, percebemos que as ocorrências estão mais ligadas à pressa do condutor que à velocidade do veículo. A impaciência reduz a perícia do condutor e potencializa a imprudência”, avalia Marcos Aurélio.

Mobilidade, segurança e respeito

Para o prefeito , os dados preliminares do estudo mostram que o município já tem vitórias para comemorar, mas considera que ainda há muito por fazer. “A mobilidade, a segurança e o respeito à vida no trânsito são fatores que precisamos combinar com infraestrutura, organização e conscientização. Não é uma batalha fácil. Por isso, nesta tarefa, a participação popular é mais importante do que nunca”, convoca.

©Andre Castro

Gerenciamento de Tráfego

Desde o início do ano, a Secretária de Transporte e Trânsito coloca em prática o Plano Municipal de Gerenciamento de Tráfego (PMGT). A Prefeitura opera hoje em três níveis de atuação para enfrentar os desafios do trânsito. O PMGT representa as ações imediatas, que ajudam a mitigar os congestionamentos, organizam o trânsito e o tornam mais seguro e civilizado. Trata-se das intervenções de tráfego, que aprimoram a sinalização e repensam o fluxo de veículos, como é feito nas alterações de sentido de vias.

Os outros dois níveis integram o Plano Municipal de Urbanismo. São as ações estruturadoras e as de sistematização do transporte público. As ações estruturadoras são representadas pelos investimentos em infraestrutura, como a revitalização e ampliação das principais vias de acesso da cidade, construção da avenida sobre o Dique II, duplicação da Perimetral e construção de travessias elevadas para pedestres em toda a cidade. Por último, as ações de sistematização do transporte público planejam mudanças que vão tornar o setor mais eficiente, atraindo mais usuários para o transporte coletivo, diminuindo o número de veículos particulares em circulação.

Deixe um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.