PousoAlegrenet

Menu

Após manifestação, sessão da Câmara é suspensa

Manifestação do público foi considerada excessiva pela Mesa Diretora

Para oposição, populares foram à Câmara exercer direito de manifestação. Para base, protesto foi organizado por políticos. Foto: Daniela Ayres

Para oposição, populares foram à Câmara exercer direito de manifestação. Para base, protesto foi organizado por políticos. Foto: Daniela Ayres

Os trabalhos desta terça-feira (27) da Câmara de Pouso Alegre foram encerrados antes da hora. Diante de um público exaltado, o presidente da Casa, (PMDB), decidiu encerrar o expediente, receoso de que as manifestações não pudessem ser controladas. A base da administração municipal era o alvo dos protestos.

Mesmo com a cobrança do IPTU (Imposto Predial Territorial e Urbano) revogada pela prefeitura, dezenas de pessoas foram à Câmara acompanhar a sessão. Em pauta, o projeto que oficializaria a suspensão dos atuais valores do imposto. No entanto, a pauta não foi apreciada devido às vaias que permeavam a fala de cada vereador do grupo de apoio ao prefeito.

(PT) foi o primeiro a perceber o desafeto do público. (PROS) terminou o discurso no grito, sufocado pelas manifestações. (PV) mal conseguiu iniciar sua fala na tribuna.

A exemplo do que aconteceu com o vereador Maurício, Dulcinéia viu a maior parte dos presentes dar-lhe as costas. A vereadora cobrou educação, mas, vencida pelo cansaço, também deu as costas para o plenário, causando indignação dos manifestantes e de alguns colegas. Adriano Pereira (PTN) chegou a acusá-la de quebra de decoro.

"Eu não virei as costas para a população de Pouso Alegre, eu virei as costas para o anarquismo que estava nessa Casa", disse <a class='post_tag' href='http://pousoalegre.net/topicos/dulcineia-costa/' >Dulcinéia Costa</a> (PV) após encerramento da sessão em que foi a vereadora mais vaiada. Foto: Daniela Ayres

“Eu não virei as costas para a população de Pouso Alegre, eu virei as costas para o anarquismo que estava nessa Casa”, disse (PV) após encerramento da sessão em que foi a vereadora mais vaiada. Foto: Daniela Ayres

Projetos sem votação

A situação foi considerada insustentável pelo presidente no momento em que as discussões aumentaram em torno de Dulcinéia. Com o fim dos trabalhos, a pauta ficou suspensa para a próxima semana, embora haja a possibilidade de convocação de uma sessão extra.

Deixe um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.