PousoAlegrenet

Menu

Processo de beatificação da Mãezinha do Carmelo é enviado a Roma

Sessão de encerramento da fase Arquidiocesana do  processo de beatificação da Serva de Deus  Mãezinha do Carmelo, em Pouso Alegre (MG).  Foto: Foto: Pupa Dias

Sessão de encerramento da fase Arquidiocesana do processo de beatificação da Mãezinha do Carmelo, em Pouso Alegre (MG). Foto: Pupa Dias

Fiéis da Arquidiocese de Pouso Alegre, em Minas Gerais, puderam acompanhar a sessão de encerramento da fase arquidiocesana do processo de beatificação da Serva de Deus Madre Maria Imaculada da Santíssima Trindade, a Mãezinha do Carmelo.

Após oito anos de trabalho e pesquisa chegou ao fim a fase arquidiocesana que investiga a vida, as virtudes e a fama de santidade da fundadora do Carmelo de Pouso Alegre.

A sessão de clausura aconteceu no sábado retrasado(25) e contou com a presença do Arcebispo Dom José Luiz Majella Delgado, CSsR., o Arcebispo emérito, Dom Ricardo Pedro Pedro Chaves Pinto Filho, O.Praem., o postulador geral da Ordem dos Carmelitas Descalços, padre Romano Gambalunga, OCD,  que veio de Roma especialmente para a sessão de clausura, o juiz delegado e chanceler do arcebispado, Monsenhor José Dimas de Lima, o promotor de justiça da causa de canonização, padre Jésus Andrade Guimarães e dois fiéis leigos.

Padres de Pouso Alegre e região, religiosos também estiveram no Carmelo, além de fiéis de diversos lugares. A documentação segue para Roma, onde será analisado e estudado pela Congregação para a Causa dos Santos.

Em entrevista ao A12.com, o vice postulador da Causa, padre Leandro Carvalho falou sobre a espiritualidade e a vida da Serva de Deus Mãezinha do Carmelo.

A12.com – Qual o legado deixado pela Mãezinha do Carmelo para a Arquidiocese de Pouso Alegre?

Madre Maria Imaculada da Santíssima Trindade.

Madre Maria Imaculada da Santíssima Trindade.

Padre Leandro Carvalho – O principal legado deixado pela Mãezinha para esta Arquidiocese foi o Carmelo da Sagrada Família que ela mesma fundou aos 26 de outubro de 1943. Quando falo do Carmelo não desejo referir-me apenas à construção atual, que também foi idealizada e realizada por iniciativa da Mãezinha, mas me refiro às Irmãs Carmelitas que nele vivem e ao que elas significam não apenas para a cidade de Pouso Alegre, mas para toda a região.

O Carmelo é um lugar aonde quem chega encontra acolhimento e paz interior. As monjas carmelitas são um reflexo de todo o ensinamento e dos testemunhos deixados pela Mãezinha. São mulheres pobres em termos materiais, mas possuem uma riqueza de coração e de espírito que manifestam o carinho e a bondade de nosso Deus que é Pai amoroso.

Já tive a oportunidade de acompanhar o Arcebispo em visita canônica dentro da clausura, ocasião quase única em que os padres lá podem entrar, pois, segundo o desejo da Mãezinha, aqui se observa com muita seriedade a lei da chamada clausura papal. É muito belo perceber a alegria que perpassa o coração daquelas monjas que só possuem para si o mínimo necessário.

Fiquei impressionado ao ver que, no próprio quarto pessoal, elas só têm uma cama com colchão feito de capim amarrado e um armarinho medindo 40 cm por 40 cm, no qual se guardam a bíblia e alguns livros. Os banheiros são comuns e os seus poucos pertences, como o hábito religioso, material de higiene pessoal e para o trabalho, ficam todos guardados em locais comuns.

Através do Carmelo da Sagrada Família, chamado por alguns de “pedacinho do céu”, Mãezinha continua irradiando, através de suas filhas carmelitas, a certeza de que o maior tesouro de cada homem se encontra em Deus e que somente Ele pode saciar a nossa sede de felicidade e preencher a nossa nostalgia do céu.

Ela mantinha um relacionamento de profundo amor e confiança em Deus e na sua divina providência.

A12.com – O que o senhor destaca da vida e obras da Mãezinha do Carmelo?

Padre Leandro – Entre muitas virtudes, destacaria em primeiro lugar a espiritualidade da Serva de Deus Mãezinha. Ela mantinha um relacionamento de profundo amor e confiança em Deus e na sua divina providência. Outra virtude que decorre da primeira é sua capacidade de carregar com fé a própria cruz junto com a cruz de Jesus Cristo. O sofrimento sempre fez parte da vida dessa Serva de Deus. E mesmo sofrendo ela jamais desanimou!

Destaco ainda outra virtude que impressiona: sua fortaleza e perseverança. Notam-se estas virtudes, sobretudo no início do Carmelo de Pouso Alegre, quando ficou sozinha com as noviças e teve que ser tudo para aquelas jovens: mestra, madre, mãe e amiga. Com poucos recursos humanos e materiais, ela poderia ter desistido dessa obra, mas não o fez!

Quando idealizou a construção do novo prédio do Carmelo, para dar saúde e segurança às outras monjas, teve que tomar a direção de todos os trabalhos e os fez com esmero. Teve que ser forte e perseverante quando faltava dinheiro para pagar os empréstimos feitos para a construção ou quando alguma irmã deixava a comunidade. Até consigo mesma teve que ser forte e perseverante para dominar sua personalidade marcada por um caráter vivo, colérico e de forte vontade.

A12.com – Porque ficou conhecida como Mãezinha do Carmelo?

Padre Leandro – As monjas carmelitas chamam, normalmente, a superiora da comunidade pelo nome de “nossa Madre”.  Inicialmente, a Serva de Deus foi chamada do mesmo modo. Três anos depois da fundação do Carmelo de Pouso Alegre, ela começou a ser chamada de “Mãezinha” pelas outras irmãs. O livro diário do Carmelo relata que esse nome foi oficializado no dia 26 de outubro de 1946.

As carmelitas que conviveram com a Mãezinha dizem que ela assim foi chamada por ser realmente a mãe carinhosa das irmãs, sobretudo das postulantes e noviças que ingressavam no Carmelo do sul de Minas. Tal nome se espalhou entre as pessoas da cidade e ela assim ficou conhecida. De fato, poucos a conhecem como Irmã Maria Imaculada da Santíssima Trindade, mas sim como Mãezinha do Carmelo.

Ao entrar em contato com os escritos pessoais da Mãezinha, tive a oportunidade de perceber que ela realmente soube fazer-se mãe zelosa não apenas das carmelitas, mas também de todas as pessoas que a procuravam no locutório do Carmelo e daqueles que a ela escreviam.

Carmelo Sagrada Família, fundado pela Serva de Deus, Mãezinha do Carmelo.

Carmelo Sagrada Família, fundado pela Serva de Deus,
Mãezinha do Carmelo.

Em seus caderninhos, Mãezinha fazia questão de anotar o nome, a proveniência, os nomes dos parentes e as orações que as pessoas pediam a ela. Mesmo com todos os afazeres e preocupações da sua missão de superiora do Carmelo, Mãezinha sempre deixou amplo espaço de seu coração reservado ao amor às pessoas.

Sem dúvidas, isso é sinal de seu grande amor, próprio de uma mãe carinhosa! E mesmo depois de sua morte, a Serva de Deus continua a manifestar-se como mãe amável de tantos fiéis que a ela recorrem, sobretudo em suas situações de sofrimentos, doenças e problemas. Muitas são as pessoas que visitam diariamente o seu túmulo, no Carmelo de Pouso Alegre, e inúmeros são os relatos de graças recebidas através da intercessão da Mãezinha.

A12.com – Quais são os próximos passados no processo de canonização?

Padre Leandro – Com o encerramento da fase diocesana, toda a documentação recolhida sobre a fama de santidade da Mãezinha e da vivência das virtudes é levada até a Congregação para as Causas dos Santos, no Vaticano. Lá, esses documentos serão estudados e julgados por uma comissão de peritos em teologia. Caso eles deem um voto favorável a essa Causa, toda a documentação é passada para uma comissão de Cardeais que a estudam e se também seu parecer for favorável, a Causa é levada até o Santo Padre, o qual a decreta ‘Venerável’.

Enquanto isso, se houver alguma graça alcançada – normalmente a cura de alguma doença considerada incurável – e atribuída à intercessão da Mãezinha, inicia-se outro processo para avaliar, através da perícia de médicos e de testemunhos das pessoas envolvidas, se essa cura pode ou não ser explicada pela medicina.

Se não se conseguir explicá-la cientificamente, envia-se o processo para o Vaticano a fim de que, lá, seja julgada pelos peritos médicos e, se for favorável, para um grupo de peritos teólogos. Se novamente for considerada inexplicável, passa para a comissão de Cardeais e, por fim, é enviada ao Santo Padre, o Papa, o qual, se julgar que tal graça é verdadeiramente um milagre, então proclamará beata a nossa querida Mãezinha.

Depois da beatificação, inicia-se outro processo para o estudo de uma segunda graça que, ao final, deverá ser considerada um milagre, seguindo todos os passos anteriores. Se o Papa julgar que tal graça pode ser considerada um milagre, então a beata é proclamada santa.

Todas as pessoas que alcançarem graças por intercessão da Mãezinha do Carmelo, podem enviar seus testemunhos para o Carmelo da Sagrada Família, Av. Comendador José Garcia, 1307, Pouso Alegre – MG, 37550-000 ou pelo telefone (35) 3421- 1103. Mais informações em www.maezinhadocarmelo.com

Fonte: A12.com

Deixe um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.