PousoAlegrenet

Menu

‘Prefiro três meses no Palmeiras a cinco anos no Pouso Alegre FC’, brinca Aranha

Em tom bem humorado, jogador ainda afirmou que proximidade de Pouso Alegre ajudou na escolha pelo Palmeiras

Aranha deu sua primeira entrevista coletiva no Palmeiras

Aranha deu sua primeira entrevista coletiva no Palmeiras

O goleiro Aranha deu nesta terça-feira (03) sua primeira entrevista coletiva como jogador do Palmeiras. Durante a entrevista, que em boa parte abordou questões sobre a titularidade e a disputa por uma vaga com o Goleiro Fernando Prass, Aranha citou com carinho a sua cidade Natal, Pouso Alegre, e brincou com um ex-clube da cidade.

“Tenho que ser bem sincero. Não é uma situação das mais felizes você deixar de ser titular. Você faz todo o trabalho e, na hora boa, do filé, fica assistindo. Mas tenho que respeitar. Quando eu estava em clubes da quinta divisão paulista, não olhava para um time grande e pensava: ‘só vou para lá como titular’. Mesmo se eu não for titular, quem não gostaria de estar na minha situação?”, declarou.

Aranha se sente um privilegiado pela condição que vive atualmente, mesmo com a iminente presença no banco. “Aos 34 anos, abriu uma oportunidade no Palmeiras. Não é pouca coisa, não. Sair de um clube grande como o Santos e vir para outro é para poucos, muita gente boa fica no meio do caminho”, disse, sorrindo ao dizer que escolheu o time alviverde por ser “perto de Pouso Alegre (MG), minha cidade”.

Nem o contrato até dezembro o incomoda. “Prefiro três meses no Palmeiras a cinco anos no Pouso Alegre Futebol Clube. Se for do agrado da diretoria e do torcedor eu encerrar a carreira aqui, que seja assim. Se não for, pego minhas coisas e procuro trabalho de novo, mas saio muito satisfeito. Para alguém que foi uma criança como fui, que só sonhava em ser jogador profissional e morou onde morei, só tenho a agradecer por chegar onde cheguei, nada a pedir.”

Apesar de mostrar humildade, Aranha acredita que pode ser titular. Sua confiança está em Oswaldo de Oliveira, que solicitou sua contratação, e o preparador de goleiro Oscar Rodriguez, seu principal incentivador no Santos, assim como o auxiliar-técnico Luiz Alberto da Silva – todos, hoje, no Palmeiras.

“Não conversei com Oswaldo. Mas pesa bastante chegar a um lugar onde se conhece várias pessoas. Não começo do zero, sabem o que posso fazer e render. Pode não ter espaço para o Aranha ser titular no Palmeiras, mas posso ajudar no grupo”, falou, já se colocando à disposição para enfrentar a Ponte Preta na quinta-feira.

Deixe um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.