PousoAlegrenet

Menu

1º DE ABRIL: Parece mentira, mas aconteceu em Pouso Alegre

No Dia da Mentira, recontamos fatos e histórias que ocorreram em Pouso Alegre, que certamente você não acreditaria que fosse verdade.

capa2

No Dia da Mentira, comemorado em 1º de abril, o Pousoalegre.net faz uma seleção de notícias que parecem “histórias de pescador”, mas não são. Histórias inusitadas e outros fatos que ocorreram em Pouso Alegre no século passado e foram registradas pelo jornal carioca O Globo, ou seja, tiveram repercussão nacional. Alguns casos pitorescos são lembrados até hoje pelos moradores mais antigos. Mas para aqueles mais jovens, o conteúdo a seguir é inédito. Acompanhe…

1929: ENCHENTE FEZ CIDADE FICAR 15 DIAS COMPLETAMENTE ISOLADA

As enchentes em Pouso Alegre sempre foram um problema histórico. Mas a ocorrida em 1929, derrubou a ponte que servia de ligação da cidade com a capital e estado de SP. Resultado; 15 longos sem comunicação, transportes e condições de reabastecer os mantimentos.

1929_isolada

1932: DEZENAS DE MORTOS NO COMBATE DA VENDINHA

Durante a revolução de 1932, tropas paulistas e mineiras travaram um sangrento combate na região chamada de bairro da Vendinha, hoje São João. Do alto no morro da Vendinha avistava-se a estrada de ferro e de rodagem em uma extensão de quilômetros. Posição mais que estratégica para os soldados mineiros do 8º RAM (Exército) montarem seu canhões e aguardarem o inimigos paulistas. O combate prolongou-se por toda a noite, até as 10 horas da manhã seguinte de 21 de julho, com a rendição dos soldados revolucionários que não conseguiram escapar. Os soldados legalistas tiveram apenas um morto.

1932_vendinha

1939: GRUPO DE AMIGOS ACERTA NA LOTERIA

Ganhar na loteria sempre foi um sonho presente no imaginário de muitas pessoas. E para um grupo de amigos de Pouso Alegre, isso ocorreu em 1939, quando os apostadores ganharam o prêmio milionário de 500 contos da Loteria Federal. O mais curioso é que a aposta fora feita no dia da inauguração da Lotérica de José Nunes Rebello, um dos grandes entusiastas da história da cidade.

1939_loteria

1959: UMA CIDADE LIVRE DO BARBEIRO

A doença de Chagas, uma endemia de expressão nacional, era uma preocupação de toda população no século passado. Era raridade encontrar uma cidade no estado de Minas sem a presença do barbeiro ou registro da doença. Durante visita a Pouso Alegre, os jornalistas de O Globo enumeraram diversos pontos positivos da cidade. “Sua sociedade é brilhante, sem artifícios, culta, sem vaidades, agradável e hospitaleira” comentou o repórter.

1959_barbeiro

1960: O ESTRANHO CASO DA MENINA QUE SUAVA COLORIDO

Em 1960, um caso fenômeno da medicina chamou atenção da imprensa nacional: médicos de Pouso Alegre e de todo o Brasil não conseguiam descobrir o que acontecia com a garota Vera Lúcia, de 11 anos. A menina tinha uma particularidade em seu suor: não era translúcido como normalmente em todas as pessoas. O “suor colorido” foi investigado por especialistas no Rio de Janeiro. Até hoje permanece um mistério.

1960_suorcolorido

1965:POUSO ALEGRE NA ROTA DO CONTRABANDO

Um acidente com um avião no aeroporto de Pouso Alegre no ano de 1965 chamou a atenção da polícia. Com o avançar das investigações descobriu se que a cidade estava na rota de uma grande quadrilha de contrabando. As investigações apontavam que o avião foi queimado propositalmente com toda a carga, para evitar o flagrante.

1965_contrabando

1965: DONOS DE PENSÃO MATARAM HÓSPEDE

Crimes sempre foram um prato cheio para imprensa. E Pouso Alegre sempre deu grandes pautas para a imprensa nacional, atraindo a vinda de repórteres a cidade, por diversas ocasiões. Dessa vez, um crime bárbaro fora descoberto em 1965. A proprietária de uma pensão e seus dois filhos teria executado um hóspede, por que simplesmente não pagava sua conta. O curioso é que o mistério permaneceu por longos 8 anos, já que a primeira hipótese levantada pela Polícia era de suicídio.

1965_crime

1973:FACULDADE DE DIREITO É INVESTIGADA POR IRREGULARIDADES

A Faculdade de Direito do Sul de Minas, atualmente é uma referência de ensino para o estado de Minas e todo o Brasil. Mas na década de 70, as atenções a instituição de ensino recaiam sobre a suspeita de estar cometendo inúmeras irregularidades. O Conselho Federal de Educação sugeriu até mesmo a intervenção na instituição. Segundo as denúncias, os candidatos que participam do vestibular não tinham dificuldades para ingressar na faculdade e o controle da frequência nas aulas era duvidoso. A instituição chegou a ser intitula de “Faculdade de Fim de Semana”.

1973_FDSM

1973_fdsm2

1974: POUSO OU PORTO ALEGRE ?

Duas cidades com nomes bem parecidos. Pouso Alegre sempre foi confundida pelo restante do Brasil por ser Porto Alegre. Mas essa pequena confusão entre nomes resultou em algo traumatizante para uma família em 1974. Um paciente com problemas psiquiátricos que estava internado em São Paulo, foi transferido para sua cidade natal. Por um erro de interpretação pessoal, ele fora despachado para Porto Alegre e não Pouso Alegre. A família descobriu o erro tarde demais. O homem morrera anos depois, sem apoio da família.

1974_pouso_porto

1974: UMA TRAGÉDIA NA LINHA DO TREM

Algumas histórias causaram comoção em suas épocas. Esta talvez seria a maior tragédia já registrada na história de Pouso Alegre. Um acidente com o ônibus da Transul, abatido por um trem, nas proximidades do bairro de Fátima, vitimou 8 pessoas e deixou outras 3 gravemente feridas. O terrível acidente permanece até hoje na memória de muitas testemunhas.

1974_trem

1982: A MAIOR FUGA DA HISTÓRIA

Quando 14 presos de alto grau de periculosidade fugiram da cadeia de Pouso Alegre em 1982, colocaram as polícias de três estados em alerta. A ação dos criminosos na fuga, foi cena de cinema.

1982_fuga

1984: ACHADO UM BILHÃO EM OURO NA FERNÃO DIAS

Não estamos falando em uma nova Serra Pelada. O fato ocorreu no ano de 1984, durante uma ocorrência policial na Fernão Dias. Após capotamento de um carro, foi abandonado no local uma maleta com 22,5 kg de ouro, aproximadamente 90 barras. O dono da carga, um empresário espanhol, não soube explicar a origem da fortuna.

1984_ouro

1984 A 1993: O HOMEM DO RÁ E SEUS ILUSTRES HÓSPEDES

Nos anos 80 e 90, Pouso Alegre fora destino de diversas personalidades para conhecerem os poderes do Homem do Rá.Thomaz Green Morton de Souza Coutinho ganhou fama nacional e internacional com sua paranormalidade.
Ele ficou famoso a partir dos anos 80 como um paranormal capaz de produzir luzes, entortar talheres e fazer perfume brotar das mãos, poderes que teria desenvolvido aos 12 anos, depois de ser atingido por um raio enquanto pescava. Aclamado por alguns como o ?maior paranormal do mundo?, ele atraiu uma legião de personalidades para o seu sítio em Pouso Alegre. Gal Costa, Elba Ramalho, Ivo Pitanguy, Baby Consuelo, Sérgio Reis, Tom Jobim, Henfil e políticos, como Sepúlveda Pertence, não hesitavam em testemunhar para imprensa as façanhas do guru. No auge da fama, consta que ele chegou a cobrar 20 mil dólares por cinco dias no seu sítio para “tratamento de energização”. Mas por onde o “Homem do Rá” atualmente?

1984_ra

1987_ra_henfil

1988_ra

1991_ra

1994_ra

1993: EIKE BATISTA E SUA FRACASSADA EMPRESA EM POUSO ALEGRE

Eike Batista, conhecido por dedicar-se a negócios em diversas áreas, também chegou a se aventurar por Pouso Alegre. Nos anos de 1990, o multimilionário criou a JPX, que produzia jipes e picapes 4×4 em uma fábrica as margens da Fernão Dias. Porém, assim como ocorre atualmente com outras empresas comandadas por Batista, como a petrolífera OGX e a mineradora MMX, a pequena fábrica de veículos off-road enfrentou dificuldades financeiras, que resultaram em sua extinção.

1993_eike

1994_jpx

1994_jpx2

1996: UM “PACIENTE ILUSTRE” NO SAMUEL LIBÂNIO

Hosmany Ramos, o médico-cirurgião que se transformou em um dos criminosos brasileiros mais conhecidos, teve uma passagem inusitada por Pouso Alegre em 1996. Após participar de sequestro de um cafeicultor em Santa Rita do Sapucaí, foi baleado e buscou socorro em Pouso Alegre com identidade falsa. Como era bastante conhecido, logo, fora identificado pela polícia. Nos corredores do hospital, se formaram filas de médicos, enfermeiros e funcionários do Hospital Samuel Libânio, para ver o “bandido famoso”.

A história de Hosmany daria um filme. Entre o fim da década de 1970 e o começo da de 1980 ele começou a traficar drogas internacionalmente, inclusive com vôos agendados de seu avião particular. Em 1981 foi condenado a 53 anos de prisão por roubo de aviões, contrabando de automóveis e pelo assassinato de seu piloto pessoal. Na cadeia, foi um dos poucos a conseguir escapar do presídio de segurança máxima de Taubaté. Não foi sua única fuga: no Dia das Mães de 1996 deixou o instituto penal agrícola de Bauru e não voltou, mas foi recapturado no mês seguinte, em Campinas, ao participar do seqüestro do fazendeiro Ricardo Rennó, em Santa Rita do Sapucaí pelo qual foi condenado a mais 30 anos. Hosmany responde a cerca de 23 inquéritos policiais. Durante o tempo que esteve na prisão, Hosmany já publicou oito livros, sendo que Marginália foi lançado inclusive na França. Seu livro Pavilhão 9 — Paixão e Morte no Carandiru foi lançado na Bienal do Livro do Rio de Janeiro em 2001, mas ele participou do evento por videoconferência, porque não teve sua saída autorizada pela Justiça. Cumpre pena em regime semiaberto na penitenciária de Valparaíso, mas em 1.º de janeiro de 2009, durante indulto de Natal e Ano Novo, convocou a imprensa para anunciar que não voltaria à prisão, como forma de protesto às más condições da penitenciária e pelo medo de ser morto após denúncias que pretende fazer em um livro. Ele de fato não voltou e passou a ser considerado foragido da Justiça.

1996_hosmany

1996-hosmny

hosmany_hospital

1997: CORTANDO O MAL PELA RAÍZ

Essa é mais uma daquelas notícias policiais que ganhou destaque na imprensa nacional. Inconformado com a traição da mulher, um homem decidiu fazer justiça com as próprias mãos. Ao encontrar a ex-esposa com o amante na cama, acabou mutilando o pênis do outro.

1997_penis

2000: POUSO ALEGRE SE TRANSFORMA NA CAPITAL DE MINAS

Itamar Franco, então governador de Minas no ano 2000, transferiu simbolicamente a sede do Governo do Estado para a cidade de Pouso Alegre, região atingida pelas fortes chuvas o que resultou em uma das maiores enchentes da história. O governador e alguns secretários ficaram alojados por três dias no 20º Batalhão da Polícia Militar.

2000_itamar02

2000_itamar

Deixe um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.