PousoAlegrenet

Menu

‘Humanos de Pouso Alegre’ ganha blog no PousoAlegre.NET

Iniciativa que retrata moradores de Pouso Alegre agora terá espaço dentro do PousoAlegre.NET

Assim como no facebook, blog vai divulgar histórias de pessoas de Pouso Alegre

Assim como no facebook, blog vai divulgar histórias de pessoas de Pouso Alegre

A partir desta segunda-feira (13) o portal PousoAlegrenet passará a divulgar histórias de moradores de Pouso Alegre, que são retratadas na página ‘Humanos de Pouso Alegre’ no facebook. A parceria entre a página e o veículo visa aumentar o alcance de divulgação do conteúdo, e disponibiliza-lo para internautas fora da rede social.

Criada em agosto de 2014, a página que divulga pequenas histórias de moradores da cidade, obteve 10 mil seguidos no facebook. De lá pra cá, foram cerca de 100 fotografias e relatos publicados.

10931508_385682024942883_6078337098382437633_n

A inspiração veio da página na norte-americana Humans of New York, criada pelo fotógrafo Brandon Stanton em 2010. A versão norte americana chegou a virar livro, e virou tendência para registrar a cultura de moradores de cada localidade.

No Brasil a iniciativa ganhou versões em diversas cidades. A que possui mais seguidores é a do Rio de Janeiro, com 44 mil pessoas. Porém, o grande destaque em adesões fica mesmo com a página de Pouso Alegre, que conseguiu que 10 mil pessoas, ou seja, 7% da população, seguissem a página.

10614404_317683911742695_2504641340609474999_n

Apesar do sucesso, os mantenedores da página de Pouso Alegre preferem permanecer anônimos: “Ainda que haja um cunho razoavelmente artístico nas fotografias, o propósito do projeto não é focar no trabalho dos fotógrafos, mas nas pessoas retratadas, e as histórias são mais importantes que a fotografia em si também. Queremos manter uma neutralidade, e evitar sermos procurados por pessoas querendo aparecer ou fazer discursos tendenciosos.”

Ainda, segundo os criadores do projeto, a ideia é que a página seja como uma “praça virtual”, onde as pessoas sejam capazes de interagir, se reconhecer, conviver de modo mais humano do que como ainda acontece nas praças da cidade, sem as barreiras de nossa correria do cotidiano e nossos preconceitos.

Confira a primeira postagem do blog aqui.

Deixe um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.