PousoAlegrenet

Menu

Gol irregular tira título de Campeão Mineiro das mãos da Caldense

A ‘Veterana’ de Poços de Caldas seria campeã com o empate, mas Jô, impedido, fez o gol da vitória do Atlético Mineiro. Jogadores, torcedores e simpatizantes Sul Mineiros reclamam da falha arbitragem.

Jô estava em posição de impedimento quando fez o Gol do Atlético Mineiro.

Jô estava em posição de impedimento quando fez o Gol do Atlético Mineiro.

Foi por muito pouco que o Futebol do Sul de Minas não foi mais uma vez campeão Mineiro. Com uma campanha brilhante, a Caldense estava invicta até o último jogo, e sem tomar gols a 8 jogos. A veterana de Poços de Caldas era a esperança dos Sul Mineiros em trazer mais um campeonato Mineiro para a região.

Mas não deu. Precisando apenas do empate para levantar o caneco, a Veterana chegou a ter o bicampeonato Estadual nas mãos, mas viu Jô, em posição irregular, tirar o caneco da Caldense. Ainda antes do término da partida, o Grito de “Vergonha”, emitido pelos torcedores da Caldense, tomou conta do estádio.

Após a derrota, os jogadores do time de Poços de Caldas atacaram o auxiliar Guilherme Dias Camilo, que, segundo eles, teria deixado de marcar um impedimento no lance. O zagueiro Plínio, capitão da Veterana, foi além e acusou o assistente de torcer para o Atlético e isso ter pesado em seu julgamento.

Jogadores da Caldense questionaram a arbitragem ao final da partida.  Foto: Carlos Henrique/Jornal Hoje em Dia

Jogadores da Caldense questionaram a arbitragem ao final da partida. Foto: Carlos Henrique/Jornal Hoje em Dia

“Saímos de cabeça erguida, ainda mais com um gol impedido. A gente sabia dessa dificuldade do bandeira. Fomos avisados que a família dele era toda atleticana, e que ele também é. (O erro) vai pro lado dele, fazer o quê? A equipe foi bem, enfrentamos de igual para igual, faltou um gol para ser campeã. Mas futebol é assim mesmo, sempre para os times grandes”, reclamou Plínio.

Tiago Azulão deu voz ao companheiro. Segundo ele, a Veterana foi “minada” desde o início.

“Eu não sei a informação, mas chegou para nós antes do jogo que esse bandeira (Guilherme Dias Camilo) era atleticano. Nosso time foi minado desde o começo. Não adianta reclamar e falar que somos punidos. Mas o futebol que a gente mostrou neste Campeonato Mineiro foi de time campeão”, afirmou Tiago.

Para o técnico da Caldense Leonardo Condé, o erro destruiu o sonho de muitas famílias: “Era um sonho. A gente não sabe quando vamos ter outra oportunidade de jogar a final do Mineiro. Isso destruiu os sonhos de muitas famílias. O título representaria muito para eles. Perder para um dos gigantes do futebol brasileiro não é demérito, o problema foi a forma que perdemos”, lamentou.

O atacante Zambi deixou os gramados reclamando da atuação da arbitragem. O jogador havia dito que muitos atletas contavam com o bom resultado para conseguir coisas melhores no segundo semestre, já que os jogadores não tem contrato firmado para o resto do ano. O capitão Plínio foi outro que não gostou da falha do bandeirinha.

“Nossa equipe não tem medo de jogar, enfrentou o Atlético de igual para igual. Mas infelizmente saímos derrotados com um gol irregular”, disse.

Com a campanha realizada na competição, a Caldense conquistou uma vaga na disputa da Série D do Campeonato Brasileiro e outra na Copa do Brasil de 2016.

Deixe um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.