PousoAlegrenet

Menu

Presidente da Câmara busca incentivos fiscais para ampliação da Ice Bom

Empresa que surgiu e se desenvolveu em Pouso Alegre quer dobrar sua capacidade produtiva, mas para garantir plano de expansão tenta ingressar em modalidade especial de ICMS

O presidente da Câmara, o secretário de Governo e o diretor da empresa Maxi Bom Alimentos

O presidente da Câmara, o secretário de Governo e o diretor da empresa Maxi Bom Alimentos

A carga tributária é uma das maiores barreiras no caminho da ampliação da atividade industrial. Em Minas Gerais, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) responde por boa parte dos encargos que oneram os empreendedores. Na instalação de novas empresas tem sido comum a isenção de parte dos impostos. Mas conseguir os mesmos incentivos para ampliação de plantas fabris já instaladas é mais difícil. É o caso da ampliação de uma grande empresa de Pouso Alegre, a Maxi Bom Alimentos, que fabrica o sorvete Ice Bom. A empresa tenta ingressar no regime especial de ICMS, com alíquotas menores do tributo, para dar continuidade à sua expansão, que desde o ano passado foi responsável por triplicar o número de funcionários atuando na empresa.

Na sexta-feira (08), o presidente da Câmara de Pouso Alegre, o vereador Rafael Hun (PT), intermediou uma reunião entre os proprietários da Maxi Bom Alimentos e o secretário de Governo de Minas Gerais, Odair Cunha, em Belo Horizonte. O encontro abre uma nova rodada de negociações em busca de incentivos fiscais para que o empreendimento prossiga com o plano de expansão que pretende dobrar sua capacidade produtiva. A empresa solicita o incentivo fiscal para seu projeto de ampliação desde 2014 junto Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (INDI).

A intermediação do vereador facilitou a discussão entre os empresários e o governo do Estado, a fim de viabilizar incentivos fiscais que garantam a expansão da fábrica em Pouso Alegre. “É fundamental que a Câmara Municipal de Pouso Alegre participe ativamente dessas agendas de desenvolvimento do município. Sabemos a importância que os auxílios que o governo do Estado e do município podem fazer para que essas empresas garantam a expansão de sua capacidade física e de geração de empregos. Nós temos certeza que outras agendas também vão surgir e a Câmara de Pouso Alegre vai intervir pelas empresas pouso-alegrenses”, afirmou o presidente.

Com 27 anos de história, a Ice Bom é uma empresa genuinamente pouso-alegrense. Nasceu pequena e hoje é uma das maiores da região em seu segmento. Agora, a empresa que já gera 306 empregos diretos, pretende dobrar sua capacidade produtiva, o que deve gerar ainda mais vagas de emprego.

O diretor da empresa, André Luiz Ribeiro, ressalta que a aprovação do pedido protocolado junto ao secretário de Governo amplia os horizontes da empresa, incrementando sua competitividade no mercado. “Nossa perspectiva de crescimento é muito significativa. Vamos ter condições de concorrer com as grandes empresas de sorvetes que vêm de outros estados e têm uma grande fatia de participação no mercado”, projeta.

Para o diretor da Maxi Bom, a interlocução ágil do presidente da Câmara deu novo fôlego às negociações para obtenção dos incentivos fiscais. “Nós levamos até o presidente nossas dificuldades na empresa e ele se prontificou de imediato a ajudar, conseguindo agendar a reunião no mesmo dia que foi solicitado”.

O secretário de Governo, Odair Cunha, se comprometeu a dar celeridade às negociações e reforçou a importância do projeto. “Entendemos e valorizamos muito a possibilidade de expansão da Maxi Bom, principalmente por saber que esta é uma empresa de Pouso Alegre, que nasceu em Pouso Alegre e, crescendo irá colaborar ainda mais com a geração de emprego e renda na cidade”, ressaltou.

Deixe um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.