PousoAlegrenet

Menu

Conheça a história do Dia dos Namorados

Imagem: Agência Brasil

Imagem: Agência Brasil

Hoje é o dia mais romântico do ano. Floristas adoram a data e os fabricantes de chocolates e perfumes também. Trocar beijos e bilhetes de amor, dar presentes, mandar cartões, jantar a luz de velas fazem parte das comemorações. Mas como surgiu essa tradição de se comemorar o Dia dos Namorados?

Contam os historiadores que no primeiro século depois de Cristo, na Roma antiga, o imperador Cláudio, preocupado com a segurança do Estado, proibiu os soldados de se casarem.

Os soldados apaixonados, que se insistam em casar, procuravam um certo padre Valentim. Sensível à angústia dos soldados, fez muitos casamentos às escondidas, até que um dia, durante uma cerimônia, foi descoberto. Por sua desobediência foi condenado à morte e martirizado. Era o dia 14 de fevereiro do ano de 270. Não demorou muito tempo para que o padre se transformasse em Santo e o Dia de São Valentim em Dia dos Namorados.

E assim, nesta data, nos Estados Unidos e no Canadá, as crianças confeccionam cartões com papéis decorados e mensagens, que distribuem para seus amigos e colegas enquanto que na Itália se faz um grande banquete.

No País de Gales, os presentes podem ser colheres esculpidas em madeira, pintadas com motivos de chaves, corações e fechaduras. No Japão, as mulheres dão aos seus namorados caixas de chocolate. Na Inglaterra, as crianças cantam canções e ganham de seus pais doces e frutas.

Mas se em quase todo o mundo, o dia 14 de fevereiro se comemora o Dia dos Namorados, porque no Brasil essa comemoração acontece no dia 12 de junho? Em 1949, o publicitário João Dória teve a ideia de colocar a data no nosso calendário no mês de junho, um mês fraco para o comércio.

Os comerciantes investiram na ideia e as vendas aumentaram bastante no mês de junho e o Brasil passou a comemorar o Dia dos Namorados nesta data.

Deixe um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.