PousoAlegrenet

Menu

Piranguinho bate recorde de maior pé de moleque do Brasil

Produtores fabricam doce com mais de 330 kg e superam a própria marca. O produto é vendido em cidades mineiras, além de São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro

O título já foi homologado pela empresa Rank Brasil

O título já foi homologado pela empresa Rank Brasil

Quem não mora no Sul de Minas, dificilmente ouviu falar de Piranguinho. Mas motoristas que cruzam a região, com certeza, notam as barracas coloridas e o cheiro de amendoim torrado às margens da BR-459. Com menos de 10 mil habitantes, cidade é considerada a capital pé de moleque, um dos doces mais tradicionais de Minas Gerais.

No último fim de semana, produtores da cidade confirmaram mais uma vez esse título durante a 10ª Festa do Pé de Moleque de Piranguinho. Eles baterem o próprio recorde com um doce de 20 metros de comprimento, 336 kg, 60 centímetros de largura e dois centímetros de altura.

O título já foi homologado pela empresa Rank Brasil. “Piranguinho merece o reconhecimento dos mineiros e de todo o Brasil. É uma cidade que há anos investe no fortalecimento cultural de sua gente”, comenta o superintendente de Interiorização e Ação Cultural da Secretaria de Estado de Cultura, João Miguel.

Tradição

O pé de moleque foi considerado patrimônio imaterial de Minas Gerais pela representação cultural do doce e o processo artesanal de produção, por meio de lei estadual de 2009. Em Piranguinho, a história do pé de moleque começou em 1909, com dona Maria Paulina. A comerciante mantinha um bar próximo à estação ferroviária e vendia o doce para pessoas que embarcavam e desembarcavam no município. Teria sido uma criação da família dela a mistura da rapadura com amendoim, receita que difere da combinação do caramelo com o grão. Em 1936 que a cidade passou a ser reconhecida como terra do pé de moleque.

Profissionalização

As linhas de passageiro que paravam em Piranguinho foram desativadas no fim da década de 1970 e deram lugar à BR-459. Os vendedores de pé de moleque seguiram o mesmo caminho e se instalaram às margens da rodovia. As barracas são vistas de longe e enfeitam a entrada da cidade. As vendas são identificadas pela cor e oferecem doces dos 13 produtores da região. A estimativa é de que o pé de moleque gere 200 empregos diretos e 800 indiretos. Hoje, o produto é vendido em diversas cidades mineiras além de São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro.

Festa

A Festa do Pé de Moleque acontece há dez anos no mês de junho, mas foi em 2006 que surgiu a ideia do doce gigante. De lá para cá, visitantes são presenteados com pedaços do pé de moleque, que é preparado na praça central de Piranguinho. Segundo a prefeitura, cerca de 24 mil pessoas participaram dos três dias de festividades este ano.

Deixe um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.