PousoAlegrenet

Menu

Com Ecopontos, Pouso Alegre tentará diminuir descarte de grandes objetos nas ruas

Lei aprovada na Câmara prevê criação de pontos de coleta de entulho e grandes objetos para minimizar uma prática recorrente entre uma parcela da população: o descarte de materiais em terrenos baldios e outros locais impróprios.

Foto: Divulgação Câmara

Foto: Divulgação Câmara

Não é preciso procurar muito para encontrar restos de construção civil ou partes de móveis que não servem mais para utilização. Isso acontece porque muitas vezes as pessoas não sabem onde descartar este tipo de lixo e tudo o que vira entulho em casa acaba indo parar nas ruas ou em terrenos baldios. Mas com um plano em implantação, Pouso Alegre pode parar de sofrer com este tipo de problema. Um projeto de lei aprovado na Câmara autoriza o poder Executivo a implantar “Ecopontos” no município de Pouso Alegre.

Secretário de Meio Ambiente, Douglas Vieira, em entrevista a TV Câmara. Imagem: reprodução TV Câmara

Secretário de Meio Ambiente, Douglas Vieira, em entrevista a TV Câmara. Imagem: reprodução TV Câmara

Durante visita realizada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente aos bairros foi possível comprovar a situação. O secretário Municipal de Meio ambiente, Douglas Vieira, afirmou que os moradores reclamam que pessoas de outros bairros utilizam áreas verdes e praças públicas para fazer o descarte de entulho.

Enquanto isso, outras pessoas, acumulam objetos desusados em casa por não saber a forma correta para destinação final. É o que aconteceu com a dona de casa Rosângela Ferreira, que depois de fazer uma pequena obra no teto da cozinha, não soube onde jogar o entulho. “O pedreiro embalou em sacos grandes com a expectativa de ele ser levado juntamente com o restante do lixo, mas acabei tendo que contratar uma empresa especializada em caçambas”, contou.

O Projeto já foi aprovado em dois turnos pelos parlamentares, autorizando o Executivo a implantar os Ecopontos destinados a receber, através da entrega voluntária da população, materiais obsoletos em áreas públicas, sendo considerados materiais obsoletos: pequenos volumes de entulhos gerados pela construção civil ou de reformas no volume de até 01m³ (um metro cúbico); objetos volumosos e inservíveis, tais como sofás, armários, cadeiras, camas, poltronas, colchões, fogões, eletroeletrônicos e eletrodomésticos.

As áreas destinadas a receberem os Ecopontos serão definidas pela Prefeitura. Segundo Douglas Vieira a intenção é de que dez Ecopontos sejam instalados no município. “Um dos pontos mais importantes do projeto será o trabalho de conscientização popular”, destacou.

Deixe um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.