PousoAlegrenet

Menu

Após abandonar CEU, prefeitura de Pouso Alegre gastará R$ 250 mil para reforma

Mesmo com inúmeras denúncias na imprensa, prefeitura deixou local sem vigilância. Centro de Arte e Esporte foi depredado e danificado. Local também virou ponto para uso de drogas

 Fachada do CEU em janeiro de 2015 e agora em maio de 2016. Vidraças não existem mais. O que não foi furtado, foi quebrado. (Foto: Jornal Domingo)

Fachada do CEU em janeiro de 2015 e agora em maio de 2016. Vidraças não existem mais. O que não foi furtado, foi quebrado. (Foto: Jornal Domingo)

Moradores estão indignados com a intenção da prefeitura de Pouso Alegre em gastar R$ 250 mil para reformar o CEU (Centro de Arte e Esporte Unificados). A obra ficou dois anos abandonada e esta depredada. As informações são do Jornal Domingo.

Custando mais de R$ 2 milhões aos cofres públicos, o CEU teve sua parte construtiva concluída em 2014. No mesmo ano, a prefeitura, com direito a cerimônia, resolveu liberar a área de lazer para uso. Porém, a obra até hoje não foi oficialmente inaugurada. O prédio deveria abrigar serviços na área de lazer, cultura e educação, mas nunca foi usado para esses fins. Além disso, o prédio não recebeu o imobiliário e equipamentos necessários.

Sem vigilância, o local passou a ser alvo de vandalismo e furtos, virou ponto para tráfico e uso de drogas, alem de abrigo para mendigos. Apesar das constantes denuncias na imprensa sobre os problemas, a prefeitura não manteve vigilância frequente no local, que agora esta totalmente depredado.

Foram muitos os itens furtados e destruídos. As paredes estão sujas e pichadas. Vidraças e esquadrias de alumínio já não existem mais, assim como louças e metais sanitários dos banheiros. As portas foram arrancadas. Luminárias foram destruídas e outra furtadas, assim como fios de cobre. Na quadra, não há mais rede de proteção.

Para algumas pessoas que trabalham próximo ao local, a reforma é um desperdício de dinheiro. “Sempre esteve abandonado, e mesmo quando ficava um guarda no lugar, nada adiantava. Só vejo gente entrando para usar drogas de dia e de noite. Se reformar, será dinheiro perdido”, avaliou o empresário João Paulo da Silva. “Reformar um lugar como esse é tirar sarro da cara do povo porque vai ser destruído novamente. Não tem lógica investir mais dinheiro nisso”,opinou o vendedor Lucas Melo Freddi.

Por meio de nota, a prefeitura informou que tem conhecimento da situação e que registrou boletim de ocorrência. A nota diz ainda que o espaço aberto para uso é exigência do projeto do Governo Federal, e que irá reforçar a segurança do local.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.