PousoAlegrenet

Menu

Casas estão sob risco de desabar no bairro São João em Pouso Alegre

Barranco tria surgido após prefeitura retirou terra do local. Famílias cobram que prefeitura cumpra uma ordem judicial

Casas correm risco de desabar (Imagem: Reprodução EPTV)

Casas correm risco de desabar (Imagem: Reprodução EPTV)

Algumas famílias do bairro São João em Pouso Alegre estão apreensivas com a situação de suas casas. São pelo menos 12 casas que estão sob risco de desabamento. Os imóveis ficam próximos a um barranco que está cedendo. A prefeitura foi acionada pelo Ministério Público Estadual e os moradores cobram que prefeitura cumpra a ordem judicial.

Segundo os moradores, o barranco de 30 metros de altura teria surgido depois que a prefeitura retirou terra do local para criar um clube de campo, que não foi para frente. Com os anos, o terreno começou a ceder e a comprometer a estrutura dos imóveis. Em 2011, a defesa declarou a região como área de risco e um dos moradores teve que deixar sua casa.

Casas correm o risco de desabar em Pouso Alegre (Foto: Reprodução EPTV)

Casas correm o risco de desabar em Pouso Alegre (Foto: Reprodução EPTV)

A prefeitura teria feito a proposta de construir novas casas para as famílias em situação de risco, com possibilidade de se fazer obras de contenção no barranco, mas a proposta não agradou. Segundo os moradores, as casas seriam de qualidade muito inferior.

Em janeiro, moradores denunciaram o agravamento da situação com o aparecimento de rachaduras em sete casas e o início da construção de uma creche na parte de baixo do barranco.

“A gente tem uma ordem judicial, a gente tem o empenho do Ministério Público para que a prefeitura cumpra a determinação de evitar uma tragédia por ela mesma anunciada há mais de oito anos. Todavia, até agora, não se logrou êxito da prefeitura cumprir a obrigação com as pessoas e com a ordem judicial emanada”, disse o advogado Marcello Rosa.

Por meio de nota, a Prefeitura de Pouso Alegre declarou que tem realizado trabalhos técnicos de engenharia para fazer obras de contenção no local. A prefeitura ainda disse que recorreu da decisão judicial citada pelo advogado e aguarda parecer da Justiça.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.