PousoAlegrenet

Menu

Desesperado, motorista usa faixa para pedir emprego em farol de Pouso Alegre

Pai de 4 filhos se mudou faz 3 meses para Pouso Alegre, e ainda não conseguiu sequer uma entrevista. Moradores compartilharam foto que viralizou nas redes sociais

Arnaldo tem usado uma faixa para pedir emprego (Foto: Redes Sociais)

Uma cena incomum chamou atenção de motoristas e pedestres que passaram pelo farol da Avenida Dr. Lisboa em Pouso Alegre na quarta-feira (21). Um homem decidiu pedir emprego através de uma faixa.

Moradores que viram a cena tiraram fotos e postaram nas redes sociais para tentar ajudar o motorista. As fotos vem sendo compartilhada e tem recebido muitos comentários de apoio.

O PousoAlegrenet entrou em contato com o homem para saber um pouco mais sobre ele e sua situação em Pouso Alegre.

Arnaldo José de Torres tem 32 anos. Veio de Recife (PE) para Pouso Alegre (MG) com a esposa e os 4 filhos (2 meninos e 2 meninas). Mora no bairro São Geraldo. Esta há 3 meses na cidade, mas ainda não conseguiu emprego.

“Vim para Pouso Alegre porque em Recife estava muito difícil. E eu cheguei a morar em Divinópolis (MG) em 2013, e arrumei emprego rapidinho. Então eu pensei que dessa vez eu ia conseguir rápido também, mas até agora nada”, conta o motorista.

Sem trabalho, Arnaldo tem dependido do apoio da família para sobreviver “Estou dependendo de parentes. Tenho um primo distante aqui. Eles que estão dando uma força. Aluguei uma casa e agora dia 27 tem que pagar aluguel. Mas pra comer a gente esta precisando vir pra aqui [casa do primo]”, conta o pai de família.

Ele conta que há 3 meses vem rodando a cidade, mas não conseguiu sequer uma entrevista: “Sempre vou nas agências de emprego mas nunca chamam. Estou todo queimado de tanto andar no sol pra procurar emprego. Esses dias apareceu uma vaga de motorista no UAI [Sine], e fui lá, disseram que eu ia fazer entrevista, e no dia da entrevista, a vaga foi cancelada. Também fui fazer entrevista para caseiro, e no dia da entrevista a vaga também foi cancelada”, conta decepcionado.

Desesperado, ele resolveu fazer a faixa, que custou R$ 70: “Foi desespero mesmo. Decidi fazer uma faixa e sair na rua”, conta o Arnaldo.

Arnaldo diz que tem ficado no farol das 9h as 12h, mas que nesta quinta-feira foi impedido por um fiscal da prefeitura: “Comecei ontem [quarta-feira] de manhã, fui hoje [quinta-feira] de novo. Mas hoje passei pouco tempo porque eu estava amarrando a faixa em um poste lá, e veio um fiscal da prefeitura e não deixou, mandou eu tirar. Ele falou que não pode amarrar no poste e que eu também não podia ficar na faixa de pedestre. Eu tenho que ter uma pessoa segurando [a faixa ] comigo. Amanha vou estar lá novamente. Vou ver se consigo uma pessoa para segurar comigo”, conta o motorista.

Deixe um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.