PousoAlegrenet

Menu

Perugini diz que não pagou servidores devido a ‘maquinação do mal’

Prefeito disse que houve conluio. Ele cita problemas com bloqueio judicial, sumiço de servidoras com senhas bancárias e resistência dos bancos

Servidores da prefeitura de Pouso Alegre vão virar o ano sem receber o salário de dezembro. O pagamento dos quase 3 mil servidores costumava ser feito até o ultimo dia útil do mês. Cerca de 10 servidores protestaram na frente do Palácio dos Carijós no meio da tarde desta sexta-feira (30). Por meio de um vídeo divulgado pela assessoria da prefeitura, o Prefeito Agnaldo Perugini (PT) atribuiu o não pagamento a uma ‘maquinação do mal’.

Perugini primeiro diz que o pagamento não foi feito devido a um bloqueio das contas do município. O bloqueio teria sido pedido na Justiça pelo secretário de Finanças da próxima administração municipal, que assume a partir deste domingo (1º). Segundo o prefeito, o município conseguiu que o dinheiro fosse liberado, mas a ação judicial teria provocado contratempos para a prefeitura.

Depois Perugini diz que duas servidoras sumiram com as senhas bancarias. “Elas não deixaram nenhum contato para que nós pudéssemos ter a senha para fazer o pagamento”, disse o prefeito. Um boletim de ocorrência foi registrado contra as servidoras nesta sexta-feira.

Ele relata ainda que, mesmo tendo conseguido fazer novas senhas nesta quinta-feira (29), enfrentou resistência junto às agências bancárias com as quais o município trabalha. O prefeito não explicou como não conseguiu fazer as transferências mesmo com as novas senhas.

Ele afirma que, na manhã desta sexta-feira, tentou nova negociação com o gerente de um dos bancos. “Hoje [30] de manhã, fiquei lá duas horas no Banco do Brasil e o gerente então, não sei para que serve um homem desses, disse que ele não tinha o que fazer pela prefeitura”, declarou no vídeo. No entanto, conforme a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), o último dia de atendimento bancário em 2016 foi nesta quinta-feira. O serviço só retorna no dia 2 de janeiro.

“Diante de tudo isso, desse conluio, dessa maquinação do mal, para que eu não possa terminar o meu mandato tão digno como nós começamos, eu venho dizer aos servidores que, infelizmente, nós não conseguiremos fazer o pagamento de vocês, mas o dinheiro está na conta”, afirmou, garantindo que, para arcar com uma folha de pagamento de R$ 9 milhões, o município teria em conta R$ 20 milhões.

Prefeito eleito publicou nota

Rafael Simões emitiu nota

Por meio de nota em seu perfil pessoal na internet, o novo prefeito da cidade, Rafael Simões (PSDB), informou que não pode se manifestar sobre a situação por não ter tido acesso às condições financeiras da prefeitura, conforme esperava durante o processo de transição.

Porem, Simões esclarece que o bloqueio ao qual Perugini se refere, é de um empréstimo de R$ 8 milhões que o município teria pego do Instituto Previdenciário do Servidor (IPREM), para garantir a folha de pagamento. Ele diz que já não existe bloqueio, uma vez que foi derrubado judicialmente pela atual administração, mas que o valor do IPREM não pode ser destinado ao pagamento dos salários dos servidores.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.