PousoAlegrenet

Menu

Epidemiologia diz não haver necessidade de corrida por vacina da febre amarela em Pouso Alegre

De acordo com o órgão, a vacina já faz parte do calendário de vacinação nesta época do ano e, no município, até o momento, não há nenhum caso confirmado da doença

Epidemiologia diz não haver necessidade de corrida por vacina da febre amarela em Pouso Alegre

A Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Pouso Alegre informou por meio de nota que não há motivo para a corrida aos postos de saúde para a vacinação contra a febre amarela.

Segundo a vigilância, a vacina já faz parte do calendário de vacinação nesta época do ano, e no município, até o momento, não há nenhum caso confirmado da doença.

A coordenadora de vigilância epidemiológica, Thatiana Gissoni, esclarece que o número de doses da vacina contra a febre amarela é suficiente para atender às zonas urbana e rural da cidade. “É necessário que as pessoas que não sejam o público-alvo da vacinação compreendam que antes de procurar os postos de saúde, é imprescindível que tenham em mãos o cartão de vacinação, para nos certificar de que nenhuma dose da vacina foi recebida. Só após a avaliação, é que a primeira dose será aplicada”.

A vacina contra a febre amarela é aplicada em duas doses. O intervalo entre uma dose e outra é de dez anos. Por isso, a importância de ter o cartão de vacinação em mãos, antes de procurar os postos de saúde, para evitar reações adversas que podem ocorrer eventualmente, entre elas, a encefalite é a mais comum.

Em Varginha, dois macacos foram encontrados mortos em matas que ficam próximas a áreas urbanas (Foto: Reprodução/EPTV)

Zona Rural

A Vigilância Epidemiológica de Pouso Alegre informou ainda que já acionou os agentes de saúde para intensificarem a busca ativa em toda a zona rural do município, já que os casos de febre amarela concentram-se em áreas de matas, nas localidades onde há maior incidência da doença.

“Já estamos preparando folhetos informativos para serem lidos nos fins de semana, em cultos e missas, para que as pessoas que não foram encontradas nas residências durante a semana, estejam atentas e procurem os postos de saúde, caso não tenham sido vacinadas”, informa a coordenadora epidemiológica.

Outra dica importante da Vigilância Epidemiológica refere-se aos passeios de finais de semana ao Parque Municipal (Horto Florestal). No local, há áreas de mata fechada, onde existe concentração de macacos. “Precisamos atentar para cada detalhe no sentido de prevenção à febre amarela. Os macacos contribuem para a proliferação da doença e o mosquito transmissor concentra-se nessas áreas. Devemos evitar adentrar por essas áreas”, ressalta a coordenadora.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.