PousoAlegrenet

Menu

Presidente da FUVS não será mais indicado pelo governo e afeta planos do PT em Pouso Alegre

Alteração do Estatuto foi votada na quarta-feira (22) pela Assembleia Geral da Fundação. Decisão caberá ao Conselho Deliberativo. Mudança tira poder das mãos de Fernando Pimentel (PT)

O promotor Dr. Agnaldo Lucas Contrim e o Presidente da Fuvs Dr. Luiz Roberto Martins Rocha (Foto: Assessoria FUVS)

Uma das instituições mais importantes do Sul de Minas, a Fundação de Ensino Superior do Vale do Sapucaí (Fuvs), não terá mais o presidente e membros do conselho indicados pelo Governador de Minas Gerais. A mudança se deve a alteração do estatuto da Fundação, que é mantenedora do Hospital das Clínicas Samuel Libânio, da Universidade do Vale do Sapucaí (Univás), além de dois colégios e de uma instituição de pesquisa em Cambuí.

Segundo a fundação, a mudança atende determinações do Ministério Público, responsável por fiscalizar fundações, mais especificamente, do Curador da Fundação, o Promotor Dr. Agnaldo Lucas Cotrim, ressaltando que outras 25 fundações de Minas Gerais já passaram pelo mesmo processo.

A alteração do Estatuto foi votada na quarta-feira (22) pela Assembleia Geral da Fundação, composta por membros de segmentos representativos da comunidade. As alterações foram aprovadas pela maioria dos votos.

Assembleia Geral da Fundação, composta por membros de segmentos representativos da comunidade votaram alterações (Foto: Assessoria FUVS)

A partir de agora, a escolha do presidente caberá diretamente ao Conselho Deliberativo da Fuvs, que foi reduzido para 14 membros: 4 membros do poder municipal (prefeito, presidente da Câmara, Secretário de Saúde e Secretário de Educação), 6 membros da Fundação (presidente, ex-presidente, reitor  e 3 diretores),  2 delegados de Conselhos (Medicina e Enfermagem),  e os doutores Elísio e Gabriel Meirelles de Miranda (ambos membros natos da Assembleia geral da Fundação).

O último presidente da Fundação indicado pelo Governador do Estado foi o atual prefeito de Pouso Alegre, Rafael Simões (PSDB). Ele foi escolhido em junho de 2013, pelo então governador Antônio Anastásia, também do PSDB. Desde o licenciamento de Simões, para disputa eleitoral de 2016, a presidência foi assumida pelo vice, Dr. Luiz Roberto Martins Rocha, com mandato até junho deste ano.

Mudança afeta planos do PT

Nos bastidores do Partido dos Trabalhadores, a mudança caiu como uma bomba. Isso porque, após anos de indicações do PSDB, caberia ao então governador Fernando Pimentel (PT) indicar novos membros do conselho e o novo presidente da Fundação. Na cidade, era ventilada a possibilidade do ex-prefeito Agnaldo Perugini (PT) ser escolhido pelo governador petista.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.