PousoAlegrenet

Menu

Professores de Pouso Alegre aderem paralisação; Sindicato critica ‘intimidação’ da prefeitura

Apenas duas creches municipais tiveram aula nesta quarta (15). O sindicato alertou que não há porque descontar o dia de trabalho, já que as aulas tem que ser repostas para completar os 200 dias letivos

O comunicado da prefeitura de que os servidores que paralisassem nesta quarta-feira (15) teriam o dia descontado não evitou a paralisação. Os professores da rede municipal de ensino aderiram a causa contra a reforma da previdência, e com exceção de duas creches, as escolas públicas, incluindo as municipais, não tiveram aula.

Além de não ter surtido efeito, principalmente entre os profissionais de ensino, a posição foi criticada pelo Sindicato da Educação da Rede Municipal de Ensino de Pouso Alegre e Região.

Por meio de nota, o Sindicato informou que a própria Secretaria Municipal de Educação já havia dado orientações e enfatizado a importância da manifestação. O sindicato ainda alertou que não há porque descontar o dia de trabalho, já que as aulas tem que ser repostas para completar os 200 dias letivos.

Confira a nota:

A Prefeitura Municipal de Pouso Alegre através da Secretaria Municipal de educação emitiu ofício para todos os diretores das unidades escolares municipais, orientando os procedimentos para a paralisação dos profissionais da educação nesse dia 15 de março. Na comunicação, a SEMED enfatizou a importância da manifestação contra a aprovação da Reforma Previdenciária, que irá prejudicar todos os trabalhadores e trabalhadoras do país.

Na sequência, a Prefeitura Municipal através de seu perfil no Facebook declara-se a favor de qualquer manifestação mais afirma que a ausência do servidor devido à paralisação contra a reforma da previdência será considerada falta injustificada e acarretará a perda do descanso semanal remunerado. Qual das manifestações procede? E como fica o direito do aluno aos 200 dias letivos? (Um direito que os educadores querem garantir)

Ao determinar o corte do dia e mais o do descanso semanal, o Prefeito Municipal tenta intimidar os profissionais e frustrar a manifestação que visa a mais legítima defesa dos direitos dos servidores e trabalhadores.

O Estatuto dos Servidores considera falta justificada aquelas ocorridas por motivos relevantes. Desta forma, o que pensa a administração?

Nunca na história do funcionalismo público municipal ocorreu o desconto do descanso semanal!

O Sindicato espera negociar e irá lutar para preservar todos os direitos dos educadores!

Carta da Secretaria Municipal de Educação reconheceu importância da manifestação

A paralisação contra a reforma da previdência mobiliza nesta quarta-feira (15) milhares de pessoas em todo o país, principalmente servidores públicos, e de empresas públicas. Em Pouso Alegre já houve um protesto durante a manhã, porem, a manifestação esta marcada para acontecer a partir das 17 horas em frente a Catedral Metropolitana.

Até o momento, a informação do sindicato é que, por enquanto, a paralisação dos professores da rede municipal deve ocorrer somente nesta quarta-feira (15), com retorno normal as aulas nos próximos dias.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.