PousoAlegrenet

Menu

Vândalos invadem escola e colocam fogo em materiais em Pouso Alegre

Caic do Árvore tem sido alvo frequente de vândalos. Dessa vez, eles chegaram a colocar fogo em materiais escolares, e poderiam ter causado incêndio. Secretária de Educação pede apoio dos moradores ao redor para evitar vandalismo

A escola CAIC do Árvore Grande em Pouso Alegre foi vandalizada na tarde deste domingo (12). Os vândalos invadiram a escola e chegaram a botar fogo em materiais, o que poderia ter causado um incêndio.

Eles arrombaram armários, espalharam e queimaram materiais escolares, sujaram salas com tintas, além de danificarem o encanamento da cozinha e roubara utensílios de cozinha e merenda escolar.

Os problemas com vandalismo tem se tornado frequente na escola, que não tem guarda 24 horas. O último caso aconteceu em dezembro, quando câmeras de segurança foram roubadas.

Fotos: Bruno Dias

A secretária de Educação, Leila Fonseca, diz que a escola tem guarda em período parcial e se mostra chateada com a reincidência: “Tem guarda, mas não teve o dia inteiro. O numero é insuficiente para atender todas as escolas, pois são 36 escolas. As câmeras foram roubadas em outras ações e agora. Só que dessa vez judiaram bastante. Fiquei muito chateada. Estamos fazendo essa campanha, pedindo para empresários ajudarem [nas reformas de escolas], e dai acontece uma coisa dessas. É muito triste”, conta Leila.

Segundo a secretária , os vândalos sabiam quais janelas estavam abertas: “Amanhã as 7 horas da manhã irei fazer uma reunião com os alunos. Vou falar para eles que isso não vai ficar impune. A gente não sabe se tem aluno no meio ou não. Como descobriram que as janelas estavam abertas? Entraram justamente pelas janelas que não estavam arrumadas. Não podemos acusar, mas a polícia estava lá. E esperamos que eles deem um retorno para gente. Muito triste. Amanha faremos uma força tarefa logo cedo para que os alunos possam ter aula”, conta Leila.

Leila ainda pede o apoio dos moradores próximos a escola: “Queria pedir ajuda para a comunidade que mora perto. Ficar alerta. A gente vai ter que melhorar. Reforçar a grade. Mas por enquanto esta tudo no começo para a gente resolver tudo. Tudo é muito caro. Então peço aos pais e comunidades que moram perto para ficar atentos, por que é um patrimônio público. São 2.500 alunos que estudam lá”, pede a Secretária de Educação.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.