PousoAlegrenet

Menu

Sob vaias de professores, Vereadores aprovam reajuste de 2,8% para servidores de Pouso Alegre

Professores reivindicavam 14% para a categoria, alcançando o Piso Nacional

Professores vaiaram vereadores durante sessão(Foto: Câmara)

A Câmara de Pouso Alegre aprovou na terça-feira (15) reajuste salarial de 2,8% para os servidores públicos municipais. A votação foi apertada, e aconteceu sob as vaias de professores.

O valor foi aceito pelo Sindicato dos Servidores, mas desagradou o Sindicato dos Professores, que reivindicava 14% para a categoria, alcançando o Piso Nacional dos Professores.

A prefeitura sustenta que paga proporcionalmente acima do piso, já que a jornada em Pouso Alegre é de 24 horas, e não de 40. A relação com a carga horária para aplicação do piso é contestada pelo Sindicato.

Em abril, um levantamento do Tribunal de Contas do Estado colocou Pouso Alegre como uma das muitas cidades mineiras que não praticam o Piso Salarial. De acordo com o TCE, a lista será usada pelo Tribunal para planejar as ações de fiscalização.

O prefeito Rafael Simões (PSDB) justificou no projeto que o reajuste de 2,8% supera a inflação do período e representa aumento real acima do índice acumulado no INPC. Os valores representam um aumento de R$ 427 mil mensais na folha de pagamento de pessoal.

Votação em regime de urgência

Mesmo tendo data-base diferentes entre os profissionais do magistério (janeiro) e os demais servidores (abril), a proposta foi analisada em conjunto.

Houve uma tentativa de destaque do projeto, para que o reajuste de servidores fosse votada separadamente dos profissionais do magistério. Porém a proposta foi rejeitada pela maioria.

Vereadores favoráveis ao pedido dos professores tentaram emplacar um pedido de vistas, mas que acabou não sendo votado, já que antes foi aprovado o pedido para que o projeto fosse votado em regime de urgência.

O projeto acabou aprovado por 9 votos a 5, e sob vaias dos professores.

Votaram a favor da proposta:

Adelson do Hospital (PR), Adriano da Farmácia (PR), Arlindo Motta Paes (PSDB), Bruno Dias (PR), Dito Barbosa (PSDB), Odair Quincote (PPS), Oliveira (PMDB), Rodrigo Modesto (PTB), Wilson Tadeu Lopes (PV)

Votaram contra a proposta:

André Prado (PV), Campanha(PROS), Dr. Edson (PSDB), Prof.ª Mariléia (PSDB), Rafael Aboláfio (PV)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.