PousoAlegrenet

Menu
Home »

História

A história de Pouso Alegre está intimamente ligada à descoberta das terras sulmineiras, no século XVII, por desbravadores portugueses e paulistas que chegaram à região para explorar lavras de ouro, no Rio Sapucaí. Eles não encontraram o mineral precioso, mas descobriram terras propícias para fixarem moradia e iniciarem a atividade agropecuária.
Em meados do século XVIII, por volta de 1740, segundo algumas literaturas, um homem de espírito aventureiro, de nome João da Silva Pereira teria erguido uma casa às margens do Rio Mandu, lançando, assim, o primeiro marco de civilização na cidade de Pouso Alegre, inicialmente conhecida por Arraial do Bom Jesus de Matozinhos do Mandu.
Alguns autores explicam que esse nome se derivou da corruptela do nome de um pescador, outros dizem que era um tropeiro de nome Manoel, que atendia pela alcunha, ora de Manduca, ora de Mandu, e que ele teria sido o primeiro povoador da região. Seja, porém, qual for o motivo dessa denominação, o que, de certo consta e atestam os escritores Marques de Oliveira e Augusto Vasconcelos é que até 1799, a florescente povoação, localizada às margens do Mandu era conhecida pelo nome desse Rio.
Com a prosperidade do local e o crescente número de habitantes surgiu a necessidade de se construir uma capela em terras pousoalegrenses. Até então as missas aconteciam em Sant’ana do Sapucaí, a 36km de distância. Ângelo Gomes Pereira, zelador da imagem do Senhor do Bom Jesus do Matozinho, com outros moradores, pediu ao bispo de São Paulo, Dom Manuel da Ressurreição, que construísse uma capela no local, o que firmou ainda mais o povoado. Diz a história que a primeira missa teria sido celebrada em 1799 pelo padre José Bento Leite Ferreira de Melo, mas a benção da capela ocorreu apenas em 18 de abril de 1802, ano em que a obra foi concluída.
Oito anos depois da inauguração da capela dedicada ao Senhor Bom Jesus do Matozinhos, o povoado foi elevado à categoria de Freguesia através do alvará do Príncipe Regente D. João VI, datado de 06 de novembro de 1810.
Criada a Freguesia, o padre José Bento, natural da cidade de Campanha, foi nomeado vigário da capela do Bom Jesus. Em 1797, o Governador D. Bernardo José Lorena (Conde de Sarzedas), transferido de São Paulo para a capitania de Minas Gerais, passou pelo povoado, onde veio ao seu encontro o Juiz de Fora de Campanha, Dr. Joaquim Carneiro de Miranda. Encantados com tanta beleza, conta-se que um deles teria dito: “Isto não devia chamar-se Mandu, mas, sim, Pouso Alegre”.
Então, por alvará do Príncipe Regente, de 06 de novembro de 1810, foi criada a Freguesia do Senhor Bom Jesus do Pouso Alegre. Pelo decreto de 13 de outubro de 1831 a Freguesia foi elevada à categoria de vila com denominação de Pouso Alegre e à condição de cidade de Pouso Alegre pela Lei Provincial nº 443 de 19 de outubro de 1848.

Atualmente, Pouso Alegre é conhecida em Minas Gerais como um dos seus pólos de desenvolvimento mais promissores. Enquanto abraça o progresso e se consolida como referencial para os municípios vizinhos em setores da economia como indústria, comércio e serviços, Pouso Alegre também conquista pelo charme de cidade do interior. A hospitalidade mineira, a infra-estrutura e a qualidade de vida em Pouso Alegre atraem inúmeros visitantes que acabam adotando a cidade para morar.

Fontes: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros – Volume XXVI ano 1959