PousoAlegrenet

Menu

Em meio a disputa na justiça, PSDB de Pouso Alegre confirma Chico Rafael candidato a prefeito

Convenção aconteceu na tarde deste domingo (24). Vereadora Lilian Siqueira foi confirmada como vice da chapa. Pré-candidato, Rafael Simões não colocou seu nome para votação

Chico Rafael foi confirmado como candidato a prefeito de Pouso Alegre; Lilian Siqueira deve ser a vice na chapa (Foto: Assessoria / Douglas Vasconcelos)

Chico Rafael foi confirmado como candidato a prefeito de Pouso Alegre; Lilian Siqueira deve ser a vice na chapa (Foto: Assessoria / Douglas Vasconcelos)

O ex-deputado estadual Francisco Rafael Gonçalves, conhecido como Chico Rafael, foi aprovado pelo diretório municipal do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) candidato a prefeito de Pouso Alegre.

A eleição aconteceu durante convenção neste domingo (24), e não teve oposição. Chico Rafael teve a candidatura aprovada por 28 votos a 2. Lilian Siqueira foi definida como vice da chapa com 26 dos 30 votos. Ao todo, 17 membros do PSDB de Pouso Alegre devem concorrer para os cargos de vereador.

Chico Rafael tem 54 anos, é advogado, foi vereador em Pouso Alegre por dois mandatos (de 1989 a 1992 e de 1993 a 1996) e deputado estadual também por duas legislaturas (de 1999 a 2003 e de 2003 a 2007). Como vereador, foi presidente da Câmara Municipal de 1993 a 1994. Ocupou ainda a diretoria da Associação do Comércio e Indústria de Pouso Alegre (Acipa) entre 1996 e 1998.

“Nós enxergamos a questão da disputa interna com naturalidade. Isso não acontece só com o PSDB, mas também com outros partidos. Prevaleceu o nosso diretório municipal. O momento agora é para que embainhemos as espadas, baixemos a guarda e levantemos os nossos braços, os nossos pulsos, para a construção e um projeto maior em favor da nossa cidade”, disse Chico Rafael ao final da convenção.

Disputa na justiça

O diretório municipal e a executiva estadual estão em disputa na justiça após a executiva tentar destituir o diretório e impor uma comissão interventora. Com a destituição, os votos que definiriam a candidatura do partido caberiam aos 5 membros nomeados para a comissão, e não mais aos membros do diretório.

Em entrevista, o presidente estadual do partido, o deputado federal Domingos Sávio, afirmou que intervenção visava garantir a candidatura do outro pré-candidato, Rafael Simões, em uma disputa na convenção.

Alegando atitude antidemocrática, o diretório municipal entrou na justiça, e conseguiu obter uma tutela de urgência, retomando os poderes sobre o partido no município. O PSDB de Minas recorreu ao TJMG, mas até agora teve seus recursos negados. Rafael Simões não compareceu a convenção para colocar seu nome em votação.