PousoAlegrenet

Menu

Moradores reclamam de uso de drogas, sexo e bagunça no centro de Pouso Alegre

Pelas redes sociais moradores denunciam uso explicito de drogas e até atos sexuais. Situação deixa moradores de algumas ruas com medo. Problema se repete por várias ruas do centro

Usuários de drogas chegam a fazer atos sexuais no meio da rua e em plena luz do dia (Imagem: Reprodução Redes Sociais)

A bagunça feita por vândalos e usuários de drogas na rua Francisca Rios, no centro de Pouso Alegre, tem tirado o sossego e preocupado muitos moradores do local. A rua é um beco sem saída, com acesso através da Av. Dr. João Beraldo.

Usuários de drogas fazem bagunça em rua no centro de Pouso Alegre (Imagem: Reprodução Redes Sociais)

Os moradores reclamam que os usuários de drogas tem ocupado o lugar praticamente todos os dias e noites.  Indignado, um dos moradores postou nas redes sociais vídeos da bagunça feita pelos usuários, e reclama que o local virou uma cracolândia:

Usuários de drogas fazem bagunça em rua no centro de Pouso Alegre (Imagem: Reprodução Redes Sociais)

“Cracolândia já não é mais exclusividade de cidades grandes. Essa é a Rua Francisca Rios, no CENTRO de Pouso Alegre. Usuários de drogas fumando crack, fazendo sexo, fazendo necessidades fisiológicas em plena luz do dia. Uma família já está se mudando devido à situação que não é resolvida por ninguém da prefeitura, policia ou guarda municipal. Até quando o cidadão de bem vai ter que mudar sua rotina devido a isso???”, reclamou o morador Bruno Aquino.

Segundo os moradores o problema é antigo, mas piorou recentemente. Eles dizem que já procuraram a prefeitura, mas que nada foi feito. “Temos medo de chegar mais tarde. Eles estão sempre ali na esquina”, disse uma moradora.

A polícia militar disse que já tinha conhecimento do problema nessa rua, e que já fez várias abordagens e apreensões de drogas no local. Já a prefeitura de Pouso Alegre disse em nota que vem fazendo ações para tentar solucionar o problema do número de moradores de ruas, do tráfico e do uso de drogas pelas ruas da cidade.

Problema se repete por toda a cidade

Moradores de rua dormem na porta da Catedral (Foto: Edson Oliveira / EPTV)

Em outras ruas no centro da cidade o problema se repete. Moradores de rua dormem durante dia e noite em frente a Catedral e ao Santuário. O uso de drogas também é flagrado.  Na rodoviária o problema se repete.

Moradores de rua dormindo em frente a um comércio na rua Dr. João Beraldo (Imagem: reprodução redes sociais)

Segundo o Secretário de Políticas Sociais, Sudário Rios Braga, diversas ações vem sendo tomadas para tentar solucionar o problema do número de moradores de rua e uso de drogas pelas ruas da cidade: “Nesses três meses nos já recambiamos mais de 80 moradores de rua para outras cidades e outros locais e fizemos quase 600 atendimentos de acompanhamento com a equipe técnica para moradores de rua”, conta Braga.

Braga diz que cidades vizinhas mandam moradores de rua para Pouso Alegre: “O problema dos moradores de rua vem aumentando absurdamente em todo o brasil. Motivos são diversos: drogas, crise econômica e outras questões. Pouso alegre não É uma bolha. Não da pra isolar Pouso Alegre. Muitas cidades vizinhas acabam mandando gente para Pouso Alegre”, disse.

Moradores de rua dormindo na rodoviária (Imagem: reprodução redes sociais)

O secretário conta ainda que há o projeto de criação de uma fazenda para receber moradores de rua: “Temos um projeto com algumas entidades para se criar um espaço em uma fazenda que é do município. Um centro onde se possa ter uma horta comunitária, uma oficina de trabalho, onde os moradores possam ir pra lá. Estamos fechando esse convênio, e acreditamos que em 1 mês e pouco esse sistema já esteja funcionando”, comenta.

O secretário ainda pede que a população não dê esmola: “Estamos para fazer uma campanha para as pessoas não darem esmola. Esmola acaba propiciando droga, prostituição, comodismo, alcoolismo, criminalidade. Tem morador de rua que recebe mais de 150 reais por dia de esmola. Sabemos que muita gente da sociedade acaba dando porquê o dinheiro é dela, e a desculpe é essa, ‘o dinheiro é meu e faço o que quiser, e eu continuo dando esmola’”, finaliza.