PousoAlegrenet

Menu

Checagem: Prefeitura exagerou em números sobre aplicações comprometidas do IPREM

Nota oficial da Prefeitura disse que ‘quase metade’ do patrimônio estava em aplicações financeiras de difícil recuperação. Porem, apenas 4,5% está aplicado no fundo investigado

Polícia Federal cumpriu mandado no Iprem (Foto: PousoAlegrenet)

Na quinta-feira passada (12), quando a Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão no Iprem, a prefeitura de Pouso Alegre emitiu uma nota onde afirmava que “Quase metade do patrimônio do Instituto [Iprem], avaliado em R$ 340 milhões, estaria comprometida com aplicações financeiras de difícil recuperação, fato que compromete a aposentadoria dos servidores municipais”.

Imagem: Reprodução site da prefeitura

A informação vinda de um órgão oficial deixou apreensivos os milhares de servidores municipais, que esperam poder contar com suas aposentadorias.

O PousoAlegrenet checou as informações, e descobriu que a nota da prefeitura foi, no mínimo, exagerada.

Na sexta-feira (13) o PousoAlegrenet solicitou a prefeitura – já que ela havia feito tal afirmação – quais seriam essas tais aplicações financeiras de difícil recuperação. Após informar que trabalhava nessas informações, cinco dias depois, a prefeitura informou que não iria responder o questionamento.

Também na sexta-feira (13), o PousoAlegrenet solicitou ao IPREM a carteira de investimentos atual, com quanto dinheiro está investido em cada fundo. A informação foi enviada na noite da terça-feira (17).

Abaixo os valores informados pelo Iprem:

Como pode-se ver, 66% do patrimônio está nos grandes bancos (BB, Caixa, Itaú, Santander, Bradesco). Os outros 34% estão divididos em quatro instituições. Dessas, a única que se tem confirmação de estar sendo investigada é a ‘Gradual’ (link), onde o Iprem aplicou R$ 17 milhões.

Ou seja, dos R$ 402 milhões do patrimônio do Iprem, 4,5% estaria em risco. Longe da ‘quase metade’ alardeada pela prefeitura.

A não ser que a prefeitura tenha obtido informações sigilosas, não divulgadas na imprensa nacional, de que todos os outros fundos sejam fraudulentos, a nota oficial emitida é sim, no mínimo, exagerada.