PousoAlegrenet

Menu

Quantidade de furtos preocupa moradores do distrito São José do Pantano em Pouso Alegre

Moradores dizem se sentir inseguros no distrito, e reclamam da falta de solução para os crimes. Polícia acredita que furtos sejam cometido pelos mesmos autores

Foto: Douglas Crispim / PousoAlegrenet

Moradores do distrito São José do Pantano em Pouso Alegre estão preocupados com a quantidade de furtos no bairro. Segundo eles, o número de casos tem crescido dia após dia.

O último aconteceu na madrugada da última quarta-feira (5), em uma Cooperativa de Morangueiros. Segundo a cooperativa, cinco criminosos encapuzados entraram no local, e furtaram defensivos agrícolas, um carro e um cofre. Só em defensivos foram R$ 23 mil de prejuízo; Sem contar o valor no cofre. A ação foi gravada por câmeras de segurança, mas a Cooperativa não quis divulgar as imagens.

Cooperativa de Morangueiros foi furtada (Foto: Douglas Crispim / PousoAlegrenet)

Outro furto recente a empresários foi em um casa de materiais de construção. Ladrões levaram um caminhão que estava na garagem da empresa.

“O distrito está em uma fase muito difícil. A insegurança e muito grande. Nós já entramos nos 5 mil habitantes. Vamos fazer reuniões entre moradores e policia militar. Tem que ser tomada alguma medida para o distrito. É o único distrito da cidade”, reclama o empresário Roberto da Rosa.

Para Roberto, o distrito precisa de uma delegacia: “Nos moradores estamos todos preocupados. Precisamos urgentemente de segurança; de um destacamento policial; uma delegacia no pântano. Os roubos e furtos estão demais, está muito fácil [para os bandidos]. Aumentou demais os furtos. Aqui não temos nenhum resguardo, nenhum apoio”.

Além de furtos a empresas, têm acontecido muitos furtos a residências e propriedades rurais. “A gente ligou para a Polícia e nem aqui vieram. Está acontecendo tanto roubo aqui. Estamos precisando de policiamento”, reclama Helena Faria, que teve seis bois furtados recentemente.

Moradores se sentem inseguros (Foto: Douglas Crispim / PousoAlegrenet)

Outra vítima recente é a moradora Kelly Ferreira. Ela teve a casa furtada quando estava em uma festa em um bairro próximo. Os bandidos levaram de tudo: Dinheiro, celular, relógio, e até os produtos cosméticos que ela vende.

“Me sinto insegura. Tenho medo de entrarem com a gente lá em casa. Quando saio não fico a vontade, fico preocupada”, lamenta Kelly, que disse que vai por câmeras e portão eletrônico na casa.

Kelly conseguiu identificar suspeitos após um cheque ter sido depositado. Seriam pessoas que vieram trabalhar na colheita do morango e foram embora. Segundo ela, ninguém foi preso.

Para Kelly, o policiamento poderia ser maior se a maioria das pessoas denunciassem os crimes à polícia: “Acontece sempre. Só que as pessoas não denunciam. Na minha amiga entraram, levaram bastante dinheiro, e ninguém ficou sabendo. Tem que denunciar”, reclamou.

Procurado pelo PousoAlegrenet, a PM informou que em 2018 foram seis o número de furtos registrados. Quanto ao destacamento policial no distrito, a PM informou que no momento não há efetivo policial para tal.

Sobre o patrulhamento rural, a PM informou que ele está sendo realizado pela 17ª Cia de Meio Ambiente, e que nos últimos meses houve reunião comunitária junto aos moradores da região.

Segundo o delegado de furtos da Polícia Civil em Pouso Alegre, Luiz Felipe Brizzi, foram abertos inquéritos quanto aos furtos, mas as investigações acabam dependendo também dos prazos do judiciário.

Brizzi acredita que os furtos sejam cometidos pelos mesmos autores: “Acreditamos que todos estão conectados. Quando solucionar um, deve ser solucionados vários. O mote da investigação é esse: identificar quem são esses autores, que nós cremos que são os mesmos”, disse o delegado.