PousoAlegrenet

Menu

Polícia encontrou manchas de sangue até no teto de casa onde mãe e filha foram mortas

Homem confessou o crime. Ele limpou casa, mas várias manchas ainda foram encontradas

Casa onde o crime aconteceu (Foto: Polícia Civil)

A casa onde mãe e filha foram mortas tinha manchas de sangue até no teto. Segundo a polícia, o produtor rural Luiz Carlos Martins, de 41 anos, limpou a casa depois de cometer o crime, mas deixou vestígios. Ele era companheiro da mulher, que havia trazido a menina para morar com os dois há três meses.

Luiz Carlos Martins confessou ter matado mulher e enteada (Foto: Redes Sociais)

Segundo a perita da Polícia Civil, Tatiane Telles Matos, ao chegar no local, rapidamente foi possível encontrar vestígios de sangue na maçaneta e batentes da casa. Depois, manchas foram encontradas no colchão, e até no teto. “A violência dos golpes foi tão grande, que tinha manchas no teto”, contou a Perita.

Foto: Polícia Civil

Foto: Polícia Civil

Manchas de Sangue no teto da casa (Foto: Polícia Civil)

Ainda de acordo com a perita, até então o homem negava o crime, e dizia que as vítimas haviam ido embora para São Paulo. Ele confessou que matou a mulher e a enteada dentro de casa, com marteladas.

Francisleide Assis Barbosa, de 26 anos, era de Feira de Santana, na Bahia. A filha, Bruna Carla Assis Passos, de 5 anos, vivia com avó até três meses atrás, quando veio morar com a mãe e o padrasto. Bruna completaria 6 anos agora no dia 2 de novembro.

A filha e a mãe foram mortas a marteladas após uma discussão (Foto: Redes Sociais)

Conforme a polícia, Luiz Carlos disse que matou Francisleide no dia 26 de outubro. Segundo ele, eles discutiram e ela estaria com uma faca em mãos. Ele disse também que matou a enteada de cinco anos após ela ter acordado.

Homem levou os corpos para o porão (Foto: Polícia Civil)

O homem relatou aos policiais que levou os corpos até o porão da casa. Lá cortou o corpo da menina ao meio. À polícia ele disse que fez isso pois “não cabia no saco”. Ainda segundo a polícia, por volta das quatro da manhã ele levou o corpo da menina para o sítio, o jogou em uma fossa, e jogou terra por cima.

Luiz mostrou aos polícias onde havia enterrado o corpo da menina (Foto: Polícia Civil)

Fossa onde corpo foi jogado (Foto: Polícia Civil)

O produtor rural trabalhou durante o dia, e só voltou para casa as quatro da tarde, onde estava o corpo da mulher. Ele esquartejou o corpo da mulher, e foi despejando os pedaços em vários lugares. Até o momento, a polícia ainda procura a cabeça e o braço da vítima. As outras partes foram encontradas.

Local onde foi jogado a cabeça da vítima (Foto: Polícia Civil)

Local onde foi jogado parte do corpo da vítima (Foto: Polícia Civil)

A polícia pediu um mandado de prisão temporário contra o homem, que segue preso na delegacia de Pouso Alegre.

Confira detalhes apresentados na coletiva de imprensa transmitida ao vivo pelo PousoAlegrenet