PousoAlegrenet

Menu

Parte de barranco desliza após chuvas no bairro São João em Pouso Alegre

Bloco que interdita a rua caiu no meio fio, fazendo com que água da enxurrada escorresse pelo barranco. Situação preocupa moradores, que vivem com medo há anos. Prefeitura vai dar apartamento para moradores que tiveram casas condenadas

As chuvas da madrugada de sábado para domingo (7) causaram um deslizamento de terra em um barranco no bairro São João em Pouso Alegre. O barranco fica na rua Curruíra, onde diversas casas foram condenadas pela Defesa Civil, e acima de uma creche.

Deslizamento deixou buraco de 2 metros de altura

Segundo a defesa civil, o desabamento aconteceu devido a queda próximo ao meio fio de um dos blocos de cimento que interditam a rua. Com o meio fio fechado, a água da enxurrada começou a descer pelo barranco, causando o deslizamento de terra.

Bloco que interdita a rua caiu no meio fio, fazendo com que água da enxurrada escorresse pelo barranco (Foto: PousoAlegrenet)

O desabamento não causou prejuízos, apenas levou terra para a área de algumas casas que ficam abaixo do barranco. Na tarde desta segunda-feira (8), a prefeitura realizou obras para conter o deslizamento. A situação, porém, preocupa os moradores, que vivem com medo há anos.

A moradora Fernanda Bazzoli preferiu não deixar a filha na creche nesta segunda-feira (8) por medo de desabamento: “O risco é eminente. É visível. Tragédia anunciada. Eu não levei minha filha hoje para a creche, e não vou levar enquanto não tiver resolução do problema”, conta a Fernanda.

Barranco fica acima de uma creche (Foto: PousoAlegrenet)

José Santos Pereira conta que as trincas não param de aparecer na sua casa (Foto: PousoAlegrenet)

Morador de uma das casas condenadas, José Santos Pereira conta que as trincas não param de aparecer na sua casa. Preocupado, ele aguarda a hora de ir para o apartamento prometido pela prefeitura: “Seria bom se fosse uma casa. Mas em vista do que está aqui é melhor. Pelo menos a gente sabe que não vai correr risco”, conta José.

Os terrenos foram doados na década de 90, e o barranco começou a se formar quando a própria prefeitura começou a tirar terra do local para fazer obras.

Prefeitura realizou obras para conter o deslizamento nesta segunda (Foto: PousoAlegrenet)

Em 2006 a defesa Civil constatou o risco de desabamento e algumas famílias entraram na justiça contra a prefeitura por não terem para onde ir. Em 2012, a justiça decidiu que o Município deveria encontrar uma solução para retirar as famílias da Rua Curruíra.

A solução só veio 13 anos depois. Na semana passada, o prefeito Rafael Simões (PSDB) conseguiu aprovação na Câmara para construir apartamentos para os moradores das casas condenadas. Segundo o secretário municipal de Políticas Sociais, João Batista de Lima, a construção deve ficar pronta em um ano.

O prédio será construído no bairro Santa Adélia, que fica a cerca de 300 metros da Rua Curruíra. Os imóveis condenados pela Defesa Civil serão demolidos assim que os moradores saírem. No local, a prefeitura pretende montar uma área de convívio comunitário.

Prefeitura realizou obras para conter o deslizamento nesta segunda (Foto: PousoAlegrenet)