PousoAlegrenet

Menu

Governo de MG faz nova tentativa de privatizar MG-290 e BR-459 que cortam Pouso Alegre

Estado já tentou privatizar as rodovias outras duas vezes, mas não conseguiu. Na região, outras seis rodovias também estão no plano de concessões do governo

Governador Romeu Zema participa da Coletiva do Lançamento do novo Programa de Concessões Rodoviária do Estado. (Foto: Renato Cobucci / Imprensa-MG)

Foi lançado nesta sexta-feira (31) pelo governador Romeu Zema o Programa de Concessões Rodoviárias que deve incluir as rodovias MG-290 e a BR-459, que passam por Pouso Alegre.

O governo mineiro prevê que 7 bilhões de reais sejam investidos nas rodovias estaduais e 9,5 mil vagas de empregos sejam geradas. As concessões vão durar entre 25 a 30 anos.

Governador Romeu Zema participa da Coletiva do Lançamento do novo Programa de Concessões Rodoviária do Estado. (Foto: Renato Cobucci / Imprensa-MG)

Segundo Zema, o objetivo do programa é retomar o desenvolvimento econômico em Minas com a atração de novos investimentos.

Com rodovias melhores, algumas delas duplicadas, mais seguras, com toda a certeza, acaba sendo um atrativo para mais investimentos“.

Para o governo, as concessões vão permitir a preservação, manutenção, desenho mais moderno e a diminuição de acidentes.

Os sete lotes que serão concessionados possuem trechos de rodovias estaduais e federais, por isso, o governo de Minas já está em negociação com o Ministério da Infraestrutura para que haja delegação desses trechos para o Estado de Minas Gerais.

A expectativa do governo é fazer o lançamento destes lotes ainda este ano, porém, o lote de Pouso Alegre-Itajubá com um total de 423,6 quilômetros de extensão deve ser contemplado somente em 2020. Além da MG-290 e da BR-459, constam as rodovias BR–146, MG–295, MG–455, MG–459, MG–347 e MG–173, no mesmo lote.

Gráfico: Divulgação Governo de Minas

De acordo com o governo, o Programa vai exigir investimentos constantes em manutenção e restauração dos trechos, a pavimentação e implantação de acostamentos em aproximadamente 75% das rodovias; que atualmente não contam com esse item de segurança, como é o caso da MG-290.

A rodovia tem mobilizado usuários em diversos movimentos em busca de melhorias para a redução do número de acidentes.

Gráfico: Divulgação Governo de Minas

Ainda segundo o governo, os contratos também vão incluir a cobrança de pedágios e as tarifas vão sustentar as despesas de manutenção das rodovias; que não receberão investimentos do estado.

Os ex-governadores de Minas, Aécio Neves (PSDB) e Fernando Pimentel (PT) também tentaram realizar a privatização de parte da malha rodoviária estadual. O último projeto porém, empacou no fato de os lotes incluírem rodovias federais como a BR-459, que acabou não autorizado pelo Governo Federal.