PousoAlegrenet

Menu

Presidente e funcionários da Câmara têm whatsapp clonado em Pouso Alegre

Golpista teria usado whatsapp das vítimas para pedir dinheiro. Para clonar whatsapp, golpista usava números invadidos, e solicitava confirmação de código para que elas entrassem em grupos

Presidente e funcionários da câmara tiveram whatsapp clonados (Foto: Arquivo)

O presidente da Câmara de Pouso Alegre, Rodrigo Modesto, teve seu whatsapp clonado neste período de Carnaval. Além dele, pelo menos dois funcionários da câmara de Pouso Alegre também tiveram seu whatsapp invadido no período.

Modesto contou ao PousoAlegrenet que foi avisado por outro vereador de que alguém estava usando seu whatsapp para pedir dinheiro. Segundo ele, ninguém teria atendido o pedido de dinheiro, e o caso foi informado a Polícia Civil.

A princípio, o whatsapp deles teria sido clonado da forma mais comum: Usando o código de confirmação. Após clonar o whatsapp de um dos funcionários da câmara, o golpista tentou aplicar o golpe com membros da imprensa. Para isso, se passou por novo assessor de comunicação da prefeitura. Veja os prints:

Como o golpista clona o whatsapp

O golpe é simples. O golpista entra em contato com a vítima dizendo que vai passar um código de confirmação, e solicita que a vítima informe a ele esse código. Para convencer a vítima, o golpista usa diversas artimanhas.

No caso do presidente da Câmara e dos funcionários, o golpista já em posse do whatsapp de outra vítima, entrava em contato com as novas se dizendo novo administrador de grupos, e pedindo a confirmação de um código.

Ao obter o OK da vítima, o golpista instala o whatsapp em outro aparelho e insere o número da vítima. O whatsapp então envia um SMS com o código de confirmação para o celular da vítima, que sem entender que está caindo em um golpe, repassa ao golpista.

Com o código, o golpista ativa o whatsapp da vítima em outro aparelho, e desativa o whatsapp no aparelho da vítima. Para piorar, logo após clonar o whatapp, ele vai nas configurações e habilita a autenticação em duas etapas, impedindo que a vítima resgate rapidamente o whatsapp.

Como se proteger

A forma mais efetiva de se proteger para não ter o WhatsApp clonado é ativar a verificação em duas etapas, em que você cria um segundo código numérico solicitado durante o login no mensageiro. Caso alguém consiga acesso ao seu código de validação de login enviado por SMS, precisará saber também o PIN que você criou, o que torna a liberação da conta mais difícil, já que é uma numeração que só você conhece.