PousoAlegrenet

Menu

Homem de 37 e mulher de 47 são as primeiras vítimas da Covid abaixo dos 50 anos em Pouso Alegre

Cidade tem 45 mortes, todas em pacientes com alguma comorbidade. Mulher que morreu iniciava tratamento de Câncer, e homem era muito obeso. Sogro dele está voltando para casa em estado vegetativo após 2 meses internado devido a Covid

Maicon Douglas, de 37 anos, é uma das vítimas da Covid-19 (Foto: Redes Sociais)

Pouso Alegre registrou nos últimos dias as duas primeiras mortes de pessoas abaixo dos 50 anos devido a Covid-19. A cidade tem 45 mortes, todas em pacientes com alguma comorbidade.

A última morte aconteceu na madrugada desta quinta-feira (10) [o boletim não foi divulgado até o momento]. Uma mulher de 47 anos que estava com Câncer, se internou para iniciar o tratamento, e morreu. Ao fazer o teste, foi constatado que ela estava com a Covid.

A morte de Maicon deixou a esposa, familiares e muitos amigos em luto (Foto: Redes Sociais)

Outra vítima ainda mais jovem, foi Maicon Douglas de Souza, de apenas 37 anos, e que morreu no dia 4. Maicon pesava 180 kg, e segundo a família, morria de medo de pegar a doença: “Ele sempre dizia que morreria se pegasse a Covid”, conta a esposa Amélia Cristina Joia.

Mas o medo de Maicon não era negativismo. Nas redes sociais, centenas de pessoas deixaram mensagens relatando o quão positivo e alto-astral ele era. “Quando ele chegava em uma festa, tudo passava a girar em torno dele. Ele era muito animado e divertido”, relatou a irmã Goreti Teodoro.

Maicon não tinha diagnóstico de comorbidade, mas pesava 180kg (Foto: Redes Sociais)

Desempregado há dois anos e com medo da doença, Maicon saia de casa só para o essencial. Segundo a família, ele já não via os irmãos e não participava de reuniões: “Antes, com ele duas latinhas de cerveja e um pedaço de carne e ele fazia um churrasco que todo mundo ficava feliz. Ele era muito simples”, conta o cunhado, Edson Coutinho Joia.

Mesmo tomando os cuidados, Maicon foi infectado. A família suspeita que ela tenha ocorrido no hospital, enquanto Maicon acompanhava o sogro que tinha sido internado devido a Covid, mas já não estava com o vírus: “Precisávamos que alguém o acompanhasse. Como ele estava desempregado, e eu e meu irmão trabalhamos, pedimos pro Maicon. Ele estava morrendo de medo. Disse que não iria. Mas depois decidiu ir, e disse que era por amor a mim e pelo meu pai. Ele era uma pessoa de coração enorme”, relata com tristeza a esposa.

A evolução da doença foi rápida. Ele foi internado na segunda (31). Na quarta-feira (2) foi para a UTI, e na sexta-feira (4) morreu. “Ele estava muito mal, e quando foram entubar ele teve parada cardíaca. Foram duas paradas. O sangue não foi para o cérebro e ele faleceu”, relata Amélia.

Mas o drama e sequelas da família Joia devido a Covid-19 não acaba apenas na morte de Maicon. Segundo a família, após dois meses internado, o pai de Edson e Amélia, de 67 anos, está retornando para casa nesta quinta-feira (10), vivo, mas em estado vegetativo.