PousoAlegrenet Logo PousoAlegre.net

Menu
SaúdeEspecial Publicitário

Méthodos alerta para a importância do Teste do Pezinho, capaz de detectar dezenas de doenças em bebês

Dia Nacional do Teste do Pezinho é 6 de junho; Méthodos Laboratório disponibiliza diferentes tipos de Teste do Pezinho capazes de identificar mais de 100 condições e doenças

O Dia Nacional do Teste do Pezinho é 6 de junho. A data foi instituída com a criação do Programa de Triagem Neonatal, do Ministério da Saúde, em 2001. O objetivo é conscientizar e alertar a população para a importância da realização do exame, que é responsável por detectar diversas doenças, nos primeiros dias de vida do bebê.

Desde 1992 o teste do pezinho se tornou obrigatório em todo o território nacional. Com isso, uma série de crianças puderam ter o diagnóstico e iniciar o tratamento ainda nas suas primeiras semanas de vida.

Tecnologia e precisão na detecção precoce de doenças no recém-nascido.

A Triagem Neonatal, também conhecida como Teste do Pezinho, é um conjunto de exames realizado a partir de gotas de sangue colhidas do calcanhar do bebê. Como recomendação geral, e para maior efetividade do teste, deve-se realizar a coleta da amostra de sangue do bebê a preferencialmente entre 3º e o 5º dia de vida.

Por que fazer o Teste do Pezinho?

O teste permite o diagnóstico precoce de diversas doenças que se apresentam geralmente assintomáticas no período neonatal. Desta forma, é possível promover o tratamento específico, diminuição ou eliminação de lesões irreversíveis como deficiência mental, deficiências físicas e até mesmo a morte.

A realização do Teste do Pezinho no Méthodos Laboratório assegura inúmeras vantagens, dentre as quais podemos destacar:

  • Maior quantidade de exames realizados e doenças analisadas em uma única amostra;
  • Utilização de metodologia de última geração;
  • Testes realizados com maior sensibilidade e especificidade;
  • Testes confirmatórios para rápido diagnóstico definitivo e início do tratamento, quando necessário;
  • Laudos de fácil interpretação.

Diversidade de exames

Desde 17 de fevereiro de 2020, os testes do pezinho básico e ampliado do Méthodos Laboratório passaram a oferecer mais parâmetros, ou seja, um maior número de doenças será investigado de acordo com os parâmetros exigidos pelo Ministério da Saúde no Programa Nacional de Triagem Neonatal.

O Teste do Pezinho Básico contempla a detecção de Fibrose Cística (Tripsina Imunorreativa), Hiperplasia Congênita da Suprarrenal (17 OH Progesterona) e Deficiência de Biotinidase, Fenilcetonúrias e outras Hiperfenilalaninemias, Hipotiroidismo Congênito, Anemia Falciforme e outras Hemoglobinopatias.

O Teste do Pezinho Ampliado contempla a detecção de Fibrose Cística (Tripsina Imunorreativa), Hiperplasia Congênita da Suprarrenal (17 OH Progesterona), Deficiência de Biotinidase, Hipotiroidismo Congênito e Deficiência de TBG (Globulina Ligadora da Tiroxina T4), Aminoacidopatias e distúrbios do ciclo da ureia, Fenilcetonúrias e outras Hiperfenilalaninemias, Hipotiroidismo Congênito, Anemia Falciforme e outras Hemoglobinopatias.

Outra diferença significativa entre os exames está na tecnologia utilizada para análise. A Espectrometria de Massas em Tandem é uma metodologia de última geração e de consenso mundial para utilização em exames da triagem neonatal. Através do emprego desta tecnologia, o Méthodos Laboratório disponibiliza outros diferentes tipos de Teste do Pezinho capazes de identificar mais de 100 condições e doenças, conforme a imagem a seguir: