PousoAlegrenet Logo PousoAlegre.net

Menu
PróximoAnterior

Vereadores se reúnem com a Planalto e tentam impedir paralisação de linhas em Pouso Alegre

Empresa anunciou paralisação de linhas a partir desta quinta-feira (1). Nesta terça-feira (29) a empresa se reúne com a prefeitura para buscar solução

PróximoAnterior
Foto: Câmara

Os vereadores participaram na noite desta segunda-feira (28) de uma reunião com o representante da empresa Planalto, responsável pelo transporte público do município. A reunião buscou entender a situação do transporte coletivo e buscar soluções para que não haja paralisação de linhas na quinta-feira (1).

Todos os parlamentares participaram da reunião que deu início com a apresentação feita pelo Diretor Roberto Torres Santana – Diretor de negócios da Planalto.

Roberto explicou que o transporte coletivo é uma obrigação da prefeitura, e que a Planalto é um mero operador do sistema. Cabe a prefeitura definir as regras de prestação do serviço, como linhas e horários, e a forma de remuneração do serviço, que atualmente é feito apenas através da tarifas.

O diretor apresentou números que apontam déficit de mais de um milhão de reais, justificando a necessidade do equilíbrio financeiro para evitar demissões e reajuste de tarifa em mais que o dobro do valor praticado atualmente.

PróximoAnterior

Segundo o diretor, há dois caminhos a ser adotados: O estilo da Índia, totalmente desregulamentada, onde as empresas são livres para fazer os horários que quiserem da forma que bem entender, e cobrar o que acharem que deve; Ou no estilo Europeu, onde o governo estabelece regras, linhas, gratuidades, valor de tarifa, e remunera a empresa pela prestação do serviço através de fontes como a própria tarifa e subsídios.

Apesar de distante financeiramente, o modelo Europeu é o que mais se aproxima do modelo atual. A ideia que está sendo avaliada é a criação de um fundo municipal para custeio do transporte público, que seria composto com o arrecadado pelas tarifas, subsídios, e outras formas de arrecadação, como criação de linhas sob demanda.

Após cerca de duas horas e meia de questionamentos levantados pelos vereadores, o Presidente Bruno Dias (DEM), baseado nos apontamentos feitos durante a reunião, sugeriu uma série de compromissos à serem firmados pela empresa: não paralisação dos trabalhos, não haver demissões, retorno integral da frota contratada, manutenção das linhas sociais e gratuidades, manutenção do valor da tarifa até dezembro de 2021, além de melhorias nos índices de qualidade e satisfação.

O diretor do grupo CSC disse que dependerá da reunião com a prefeitura para avaliar esses compromissos. Uma reunião está marcada para esta terça-feira (28) com o prefeito Rafael Simões (DEM).

Encerrando a reunião o vice-prefeito Cel. Dimas considerou o assunto como “esgotado” e disse que a prefeitura irá “ombrear” esforços no sentido de continuar a conversa com a empresa.

O assunto deve continuar a ser debatido entre município em empresa de transporte, até que a situação do equilíbrio financeiro seja solucionada.