PousoAlegrenet Logo PousoAlegre.net

Menu
PróximoAnterior

Polícia Civil prende ‘trader’ suspeito de aplicar golpe superior a R$ 2 milhões em Pouso Alegre (MG)

Marcos Felipe Ribeiro Campos, de 25 anos, estava foragido desde o ano passado e foi preso em Angra dos Reis (RJ). Ele dizia ser dono de empresas conhecidas na cidade

PróximoAnterior
Marcos Felipe é suspeito de aplicar um golpe com mais de R$ 2 milhões de prejuízo em Pouso Alegre (Foto: Redes Socias)

A Polícia Civil prendeu na última quarta-feira (21) um jovem suspeito de aplicar um golpe superior a R$ 2 milhões em Pouso Alegre (MG). Marcos Felipe Ribeiro Campos, de 25 anos, foi preso em Angra dos Reis (RJ).

Segundo a Polícia Civil, Marcos Felipe se passava por “trader”, um investidor do mercado financeiro. Ele ganhava confiança das vítimas dizendo ter comprado empresas tradicionais da cidade.Depois de entrar em contato com as vítimas, o investigado as convencia a investir grande volume de dinheiro com a promessa de rápido retorno financeiro. Após um tempo, o suspeito desapareceu com o dinheiro das vítimas.

Marcos Felipe vem sendo procurado desde o início de 2020, quando sumiu. Várias vítimas em Pouso Alegre relataram os golpes através das redes sociais e procuraram a polícia. Após apuração, a Polícia Civil pediu sua prisão preventiva ainda no ano passado. Desde então, ele estava foragido.

PróximoAnterior
Marcos Felipe foi preso em Angra dos Reis (RJ)

Em Uberlândia também foi instaurado um inquérito, a partir da denúncia de prejuízo de R$ 130 mil por uma das vítimas.

O paradeiro de Marcos Felipe foi descoberto a partir do cruzamento de informações entre as equipes policiais mineiras. O mandado de prisão foi cumprido pela Polícia Civil do RJ. Segundo a Polícia Civil, ele ainda não chegou a delegacia de Pouso Alegre.

Na casa onde morava, os policiais encontraram contratos em branco, procurações de supostas vítimas, cartões de visita, planilhas de cálculos de rendimentos do dinheiro aplicado, além de cartões de bancos e notebooks, cujos bens, segundo apuração, foram comprados com o dinheiro subtraído dos cartões bancários de vítimas.

Agora, a PCMG procura identificar se o golpista agia com comparsas em Uberlândia, e se há mais vítimas. Quem foi vítima dele, deve procurar a Polícia Civil.

Marcos Felipe dizia ser dono de empresas, algumas tradicionais, em Pouso Alegre