PousoAlegrenet Logo PousoAlegre.net

Menu 12 anos
PróximoAnterior

HCSL realiza procedimento inédito no Sul de MG e salva vida de paciente de 70 anos em Pouso Alegre

Tecnologia chegou ao Brasil em julho deste ano, e só foi usada sete vezes no estado. Equipe de Hemodinâmica fez cirurgia inédita de implantação de stent com auxílio da técnica de Litotripsia endovascular, indicada no tratamento de lesões muito calcificadas

PróximoAnterior
Foto: HCSL

O Hospital das Clínicas Samuel Libânio realizou um procedimento inédito no Sul de MG, salvando a vida de paciente de 70 anos em Pouso Alegre. A “Litotripsia endovascular” usando o shockwave foi realizada no dia 25 de novembro, sendo a sétima realizada em Minas, e a primeira no Sul de MG.

A tecnologia é muito recente e moderna, tendo chegado ao Brasil em julho deste ano. “Esse é mais um diferencial do nosso hospital. Usamos um dispositivo que ajuda nos casos de angioplastia em pacientes com lesões muito calcificadas. A nova tecnologia consiste na emissão de ondas pressóricas de litotripsia dentro do vaso. Portanto, podemos usar essa nova tecnologia em casos mais complexos com implantes de stents e válvulas nos pacientes. Em seguida, conseguimos facilmente descer um stent e dilatar a artéria com mais facilidade. Esse primeiro caso feito em novembro aqui no Hospital foi o primeiro feito no Sul de Minas e o sétimo realizado em Minas Gerais”, explica o médico cardiologista, Alan Nascimento Paiva.

PróximoAnterior
Foto: HCSL

Primeiramente, a equipe faz um cateterismo no paciente para detecção da obstrução e observar a calcificação. Esse procedimento também pode ser realizado por imagens intravasculares já utilizadas no HCSL. Por meio dos exames, os médicos fazem a opção pelo uso do dispositivo. “Quando as pessoas vão envelhecendo, as artérias vão ficando cada vez mais calcificadas. A carga de cálcio é muito grande nas artérias em alguns casos e isso impossibilita e chega até a impedir a dilatação da lesão e a implantação do stent. Durante o procedimento, colocamos um balãozinho na lesão, no local calcificado que precisa ser tratado, onde insuflamos baixa pressão. Esse balão é ligado em um gerador de energia chamado shockwave, que emite ondas pressóricas que quebram o cálcio”, esclarece Dr. Alan.

Foto: HCSL

O médico cardiologista Vicente Paulo Resende Jr, que atua também no serviço de hemodinâmica, afirma que atualmente o HCSL está apto para realizar procedimentos de alta complexidade, não devendo nada a hospitais de capitais. Sobre o procedimento inédito feito recentemente, ele elenca vários benefícios para os pacientes como o sucesso maior na implantação do stent, evitando casos de trombose e reestenose. “Com o dispositivo, quebramos o cálcio e dilatamos a artéria com uma facilidade incrível”, afirma Dr. Vicente.

“O HCSL está preparado e equipado para atuar e resolver integralmente as patologias cardíacas, desde as mais simples até as mais complexas, como mostrado recentemente. Os serviços de anestesia, ecocardiografia, enfermagem altamente qualificados que auxiliaram esse procedimento, são apenas alguns exemplos de competência de profissionais que atuam no Hospital das Clínicas Samuel Libânio”, explica o HCSL em nota.

Foto: HCSL