PousoAlegrenet

Menu

Parquinho vira ponto de drogas e sofre vandalismo em bairro de Pouso Alegre

Adolescentes agridem e aliciam crianças. Eles chegaram a colocar fogo no parquinho. Moradores pedem remoção do brinquedo

Adolescentes ocupam espaço que deveria ser das crianças

Um parquinho instalado pela Secretaria de Esportes e Lazer da Prefeitura de Pouso Alegre no bairro Jardim Redentor está gerando problemas para moradores do entorno. A reclamação é que, o brinquedo com estrutura para crianças de até 12 anos se tornou um ponto de concentração de adolescentes e jovens para o consumo de drogas.

O PousoAlegrenet esteve no local para ouvir a população. Com medo, a maioria sequer conversou sobre o assunto. Os moradores que aceitaram falar preservando a identidade, disseram que se sentem presos dentro das próprias casas e é melhor não comentarem nada.

“Quando botaram fogo num ônibus aqui no bairro, a polícia veio aqui. Todos sabiam, mas, ninguém teve coragem de dizer quem foi”, disse um morador.

Brinquedo chegou a ser depredado

Segundos moradores, as crianças conseguem usufruir da área de lazer de segunda a sexta-feira no período da manhã e da tarde, até os adolescentes começarem a ocupar o playground. Com a chegada dos “maiores”, as crianças são impedidas de brincar e precisam ir embora para evitar ameaças e agressões. Nos finais de semana o brinquedo também é ocupado pelos adolescentes e os pais preferem não deixar as crianças dividirem o espaço.

Segundo o pai de uma criança, o problema acontece há dois meses: “vem dando problemas desde quando colocou. Isso aí veio só com os maiores, os menores não estão aproveitando nada”.

A insatisfação preocupa moradores que alegam já terem acionado a Polícia Militar e não terem a solicitação atendida. “Falta segurança também. Coloca o parquinho aqui para os menores brincar e são os maiores que acabam aproveitando e virando um ponto de droga e bebidas para de menores também”.

No mês passado, algumas peças que compõem o brinquedo foram furtadas e uma das coberturas foi parcialmente incendiada, mas, as chamas foram controladas por moradores. Casas vizinhas ao parquinho teriam sido apedrejadas pelo grupo. Outro problema é o barulho, com a concentração, as conversas se estendem até a madrugada. Música alta e palavrões são ouvidos com frequência.

A vizinhança explica que a princípio o parquinho sanava um problema, porque foi instalado numa área que era tomada pelo mato e pelo lixo e que atendia às necessidades das crianças, mas, que com o mau uso, se tornou um transtorno ainda maior.

Sem acreditar que a situação possa ser resolvida de outra forma, moradores ao redor esperam que o parquinho seja retirado do bairro para que os usuários de drogas deixem de se reunir na área.

A prefeitura instalou três parquinhos pela cidade no ano passado e outros cinco este ano. Até dezembro, a previsão é que a cidade receba mais 20 equipamentos.

A Superintendência Municipal de Esportes informou que já está realizando o levantamento dos problemas ocorridos com relação aos atos de vandalismo no parquinho para tomar as medidas necessárias.

Sobre a segurança, a Polícia Militar informou que tem feito seu trabalho de prevenção no bairro e que de 2017 até os dias atuais foram efetuadas mais de 100 prisões por tráfico de drogas no setor de policiamento que engloba o bairro Jardim Redentor e que o patrulhamento no bairro será intensificado.