PousoAlegrenet

Menu

MP impugna candidatura de Eduardo da Rádio a prefeito de Pouso Alegre

Eduardo é inelegível por ser servidor demitido em processo administrativo. Ele era membro do Cômite de Investimentos do IPREM quando investimentos fraudulentos causaram prejuízo milionário

Foto: Redes Sociais

O Ministério Público Eleitoral impugnou a candidatura de Eduardo da Rádio (PT) a prefeitura de Pouso Alegre. Segundo a ação, Eduardo está inelegível por ter sido demitido do serviço público em processo administrativo disciplinar transitado em julgado.

O candidato foi servidor público da prefeitura no cargo de Técnico Desportivo, de 2006 a janeiro de 2020, quando foi demitido após ser apurado sua responsabilidade funcional nas fraudes do Iprem. Para poder disputar a eleição, Eduardo precisaria que a justiça anulasse a sua demissão, o que segundo o MP, não aconteceu.

Iprem foi alvo de operação da Polícia Federal (Foto: PousoAlegrenet / Arquivo)

Eduardo e a fraude

Eduardo Ferreira Pinto era um dos membros do Comitê de Investimentos do IPREM na época em que foram feitos investimento fraudulentos em empresas de fachada. Segundo investigações, a fraude gerou R$ 140 milhões de prejuízo a aposentadoria dos servidores públicos de Pouso Alegre. Entre os vários indícios, estão a confissão de membros do Comitê de que as reuniões que participavam também eram de fachada.

Em agosto, a justiça autorizou o sequestro dos bens de Eduardo Ferreira Pinto e quebra de sigilo bancário, assim como de outros membros do Iprem, e do ex-prefeito Agnaldo Perugini (PT).

O outro lado

Procurado pelo PousoAlegrenet, Eduardo disse que no momento prefere não se manifestar. Ele ainda poderá apresentar defesa, antes da ação de impugnação ser julgada.